Greve de rodoviários do Rio de Janeiro é suspensa após liminar da Justiça

Movimento afetaria os ônibus municipais e o sistema BRT. Foto: Diário do Transporte

Decisão foi obtida por ação do Rio Ônibus; segundo TRT, paralisação ‘traria prejuízo econômico ao Estado’

ALEXANDRE PELEGI

Está suspensa a greve dos rodoviários do Rio de Janeiro marcada para hoje, segunda-feira, 29 de novembro de 2021.

O movimento afetaria os ônibus municipais e o sistema BRT (Ônibus de Trânsito Rápido).

Por solicitação do Rio Ônibus, sindicato das empresas, o Tribunal da Justiça do Trabalho da 1ª Região expediu liminar suspendendo a paralisação.

A medida do TRT foi definida durante plantão do judiciário na noite deste domingo (28), e foi acatada pelo presidente do Sindicato dos Rodoviários.

A decisão fixou multa diária de R$ 100 mil em caso de descumprimento.

De acordo com o desembargador Álvaro Luiz Carvalho Moreira, “a paralisação traria enorme prejuízo econômico ao estado, além agravar ainda mais a crise financeira das empresas o que poderia inviabilizar o pagamento do 13° salário dos rodoviários, além do mais o sindicato não estaria respeitando o prazo legal de 72 horas, já que existe uma audiência de mediação marcada para esta quarta-feira (01/12)“.

GREVE

O anúncio da greve foi feito após a audiência realizada na quinta-feira passada (25) no TRT (Tribunal Regional do Trabalho) terminar sem acordo.

Em nota à mídia local, o presidente do sindicato, Sebastião José, afirmou que “os empresários e a prefeitura foram insensíveis em relação a atual situação da categoria”. A greve seria por tempo indeterminado.

Em uma carta aberta à população, o sindicato detalhou que, desde março, os salários foram reduzidos e até suspensos devido à pandemia de covid-19. Além disso, o documento cita férias adiadas, compensação de feriados e horas extras.

Em nota, o Rio Ônibus, que representa as viações, pedia a compreensão dos trabalhadores para a não realização da greve e que mantêm diálogos para tentar resolver os problemas econômicos do setor.

Os consórcios pedem a compreensão dos rodoviários para que não façam greve. As empresas mantém diálogos constantes com Prefeitura e Judiciário na busca por soluções para o setor. Em função da situação econômica do sistema, qualquer movimento de paralisação pode ameaçar diretamente a continuação dos serviços de diferentes empresas no Rio.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Norival porto disse:

    Se os rodoviários não pararem , nada vai muda. ,o sindicato não tá nem aí pra categoria, a Rio ônibus muito menos, a prefeitura nem se fala …. eles são estão vendo o lado deles, e quem vê o nosso…. na vdd todo mundo tem que parar

  2. ANDERSON DA SILVA SOUZA disse:

    Crítica os rodoviários e fácil quero ver você na sua profissão fica 3 anos sem aumento
    Com as coisas alimentando com está
    Esse desembargador com certeza teve o sue salário dos os anos aumentado mesmo na pandemia

Deixe uma resposta