Distrito Federal tem transporte público com 100% de acessibilidade, segundo o IBGE

Dados do instituto apontam que apenas 20,7% dos municípios consultados do país cumprem a medida. Foto: Lúcio Bernardo Jr/Divulgação Governo do Distrito Federal.

Afirmação consta na pesquisa Munic de 2020 realizada pelo órgão de estatísticas

WILLIAN MOREIRA

O transporte público do Distrito Federal é 100% acessível, segundo o IBGE ( Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Os dados constam no estudo Munic (Pesquisa de Informações Básicas Municipais) 2020.

Na pesquisa, é apontado que os 2.815 ônibus coletivos tem dispositivo de acessibilidade para pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida.

Dados do instituto apontam que apenas 20,7% dos municípios consultados do país cumprem a medida.

Os ônibus do DF contam com o chamado elevador que é uma plataforma elevatória que permite ao cadeirante por exemplo, conseguir entrar no interior do coletivo e viajar em segurança. Uma parte da frota já é composta com o modelo de piso baixo, onde junto a porta existe uma rampa de fácil uso para agilizar ainda mais o embarque e desembarque.

Na questão de acessibilidade no Distrito Federal, este direito está previsto na Lei nº 10.098/2020 e também pelo Decreto nº 5.296/2004, que determinou a frota do transporte estar totalmente adaptada até 2024.

“Hoje você não tem mais justificativas para não ter equipamento público sem uma adaptação para quem tem necessidades especiais. Brasília optou por determinar que 100% da frota fosse adaptada para poder permitir que essas pessoas tenham mobilidade mais eficiente. Aqui, as empresas hoje são obrigadas a colocar equipamentos com esse dispositivo”, explica o secretário de Transporte e Mobilidade, Valter Casimiro, em nota divulgada para a imprensa.

Além de instalar os equipamentos e manter a frota acessível, fiscalizações são periodicamente realizadas, punindo empresas que estiverem fora da norma ou descumprindo a medida.

“Nós fiscalizamos para garantir que as empresas cumpram com essa obrigação. E fazemos a conscientização de quem trabalha no sistema de transporte e dos usuários para que possam ver isso como uma atitude que deve ser respeitada”, disse também Valter Casimiro.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Roberio disse:

    Parabéns ao Df

Deixe uma resposta