CURIOSIDADE: Qual a lógica dos números das linhas e dos prefixos dos ônibus gerenciados pela EMTU no Estado de SP?

Numeração das linhas e prefixos estão divididos de acordo com a região onde operam; Saiba quais são

ADAMO BAZANI

A linhas de ônibus gerenciadas pela EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) são identificadas por números e, quando há alguma alteração em relação ao trajeto principal, também recebem letras.

O Diário do Transporte já mostrou quais são estas letras e quais características indicam.

Você pode relembrar neste link: https://diariodotransporte.com.br/2021/09/19/curiosidade-o-que-significam-as-letras-logo-depois-dos-numeros-de-linhas-da-emtu/

Mas os números dessas linhas, indicam algo? E os prefixos na lataria dos ônibus têm alguma lógica?

Segundo a EMTU, em nota ao Diário do Transporte, sim.

A gerenciadora explica que a numeração das linhas e os prefixos estão divididos de acordo com a região onde operam.

A EMTU faz a gestão das linhas intermunicipais em cinco regiões metropolitanas do Estado: Região Metropolitana de São Paulo, Região Metropolitana de Campinas, Região Metropolitana da Baixada Santista, Região Metropolitana de Sorocaba e Região Metropolitana do Vale do Paraíba/Litoral Norte.

Veja as ilustrações:

Veja alguns exemplos de linhas nos letreiros dos ônibus

Região Metropolitana de São Paulo

Região Metropolitana da Baixada Santista

Região Metropolitana de Campinas

Região Metropolitana de Sorocaba

Região Metropolitana Vale do Paraíba/Litoral Norte

Veja alguns exemplos de prefixos dos ônibus por áreas da Grande São Paulo

Área 1:

Área 2:

Área 3:

Área 4:

ABC (antiga Área 5):

– ÁREA 1:

Cidades: Cotia, Embu das Artes, Embu-Guaçu, Itapecerica da Serra, Juquitiba, São Lourenço da Serra, Taboão da Serra, Vargem Grande Paulista e São Paulo.

– ÁREA 2:

Cidades: Barueri, Cajamar, Caieiras, Carapicuíba, Francisco Morato, Franco da Rocha, Itapevi, Jandira, Osasco, Pirapora do Bom Jesus, Santana de Parnaíba e São Paulo.

– ÁREA 3:

Cidades: Arujá, Guarulhos, Mairiporã, Santa Isabel e São Paulo

– ÁREA 4:

Cidades: Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis, Suzano e São Paulo.

– ABC PAULISTA – ANTIGA ÁREA 5 (NEXT MOBILIDADE) – fase de transição com a saída de empresas permissionárias.

Cidades: Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra, São Paulo.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Rafael Lopes de Oliveira disse:

    No Vale do Paraíba, mesmo sendo uma região que ainda não foi licitada, as empresas se organizaram em lotes também:

    * 10.xxx: Viação Jacareí;
    * 11.xxx: Gardênia;
    * 20.xxx: ABC Transportes;
    * 30.xxx: vago (usado anteriormente pela Breda);
    * 40.xxx: Cidade Natureza;
    * 50.xxx: Expresso Redenção;
    * 60.xxx: Santa Branca;
    * 70.xxx: São José;
    * 80.xxx: vago (foi usado pela Litorânea no início, antes de adotar os atuais 81 e 82);
    * 81.xxx: Pássaro Marron (lote herdado da Litorânea, ônibus rodoviários);
    * 82.xxx: Pássaro Marron (lote herdado da Litorânea, ônibus urbanos);
    * 90.xxx: Pássaro Marron (ônibus rodoviários sem ar condicionado);
    * 91.xxx: Pássaro Marron (ônibus rodoviários com ar condicionado);
    * 92.xxx: Pássaro Marron (ônibus urbanos).

    Na Baixada Santista, como apenas uma única empresa opera, não se faz necessária a divisão por lotes.

    Sobre as linhas: nas do Vale do Paraíba e de Sorocaba também há subdivisões de acordo com a origem:

    * 51xx: microrregião de São José dos Campos (Jacareí, Igaratá, Caçapava, Paraibuna…);
    * 52xx: microrregião de Taubaté (Tremembé, Pindamonhangaba, São Luiz do Paraitinga, Campos do Jordão…);
    * 53xx: microrregião de Guaratinguetá (Aparecida, Lorena, Cunha, Piquete…);
    * 54xx: microrregião de Cruzeiro (Cachoeira Paulista, Queluz, Bananal…);
    * 55xx: Litoral Norte.

    * 61xx: microrregião oeste (Itapetininga, Tatuí, Alambari, Sarapuí, Tietê, Iperó…);
    * 62xx: microrregião leste (São Roque, Ibiúna, Itu, Salto, Porto Feliz…);
    * 63xx: microrregião central (Votorantim, Araçoiaba da Serra, Piedade, Pilar do Sul…).

    Curiosidades adicionais a serem acrescentadas.

  2. Edvaldo machado de Moraes disse:

    Porque estão acabando com o emprego do cobrador?

  3. WELLINGTON PUPPI disse:

    Inicialmente a região metropolitana de São Paulo ocuparia toda a numeração até 999. Com a da RM Baixada Santista, reservaram a casa dos 900 pra Baixada.
    Com a criação da terceira região, a de Campinas, reservaram a casa dos 600 e 700, por esse motivo há esse “buraco” nas linhas da RMSP.
    Um exemplo foi a linha 823 que foi designada para RMBS, na época que essa numeração não era utilizada. Após modificação nesta linha ela foi renumerada como 949.
    Poucas linhas reutilizam números, a 823 é um exemplo de não reutilização.

  4. Ricardo Alves disse:

    O serviço é ruim em qualquer região!

  5. JESSE disse:

    Tem alguns que são abaixo de 100 como por exemplo 022, 020, 086 que são da região de Carapicuíba/Osasco. Tinha uma linha que foi extinta recentemente que era 131 que era da mesma região. Sendo assim acho que existe algumas excessões.

    1. diariodotransporte disse:

      Mas se está abaixo de 599, tá enquadrado

Deixe uma resposta