Lucro líquido da CCR sobe 55,5% no terceiro trimestre de 2021

Demanda de passageiros nos empreendimentos de mobilidade cresceu 33,1% em comparação ao terceiro trimestre de 2020, mas ainda não recuperou quantidade que era registrada antes da pandemia; Já nos aeroportos, alta foi de 303,4%

ADAMO BAZANI

A CCR divulgou nesta sexta-feira, 12 de novembro de 2021, os resultados do terceiro trimestre de 2021 e do acumulado de nove meses deste ano.

O lucro líquido da gigante especializada em concessões de serviços públicos cresceu 55,5% no terceiro trimestre de 2021, alcançado R$ 183,9 milhões na comparação com o terceiro trimestre de 2020, que teve o resultado de R$ 118,3 milhões.

Já no acumulado de janeiro a setembro de 2021 na comparação com janeiro a setembro de 2020, o lucro líquido cresceu 211,7%, com R$ 828,8 milhões ante R$ 265,9 milhões.

Vale ressaltar que o ano de 2020 foi fortemente afetado pelos efeitos econômicos da pandemia de covid-19, por isso um percentual tão alto.

Já a receita líquida da CCR no terceiro trimestre de 2021 cresceu 15,4% registrando R$ 2,57 bilhões. No terceiro trimestre de 2020, a receita líquida foi de R$ 2,22 bilhões.

DEMANDA DE PASSAGEIROS:

A demanda de passageiros nos empreendimentos de mobilidade cresceu no terceiro trimestre de 2021, 33,1%, com 80 milhões 175 mil 171 passageiros, ante 60 milhões 242 mil 781 usuários no mesmo período de 2020.

No acumulado entre janeiro de setembro de 2021 e janeiro de setembro de 2020, a alta foi de apenas 0,2%, ou seja, resultado estável, com 218 milhões 075 mil 540 passageiros nos nove primeiros meses de 2021 ante 217 milhões 637 mil 301 no mesmo período de 2020.

A empresa destacou que mesmo com o crescimento, não foram recuperados os patamares de antes da pandemia.

Já em relação aos aeroportos, a alta foi de 303,4% com 1 milhão 832 mil 479 passageiros em embarque/desembarque no terceiro trimestre de 2021, enquanto que no período de 2020, foram 454 mil 227.

No acumulado de janeiro a setembro, a alta foi de 38,9%, com 4 milhões 311 mil 227 em 2021 e 3 milhões 103 mil 471 no período de 2020.

METRÔS EM SÃO PAULO SÃO OS QUE MAIS TRANSPORTAM E PASSAGEIROS INTEGRADOS SÃO O FORTE:

Dos 80 milhões 175 mil 171 passageiros transportados nos empreendimentos de mobilidade do grupo CCR, somente as duas linhas de metrô que opera junto com a Ruas Invest (do setor de ônibus) representaram 55 milhões 556 mil 880 usuários, sendo que deste total, 29 milhões 597 mil 589 passageiros foram transportados na Linha 4-Amarela (Luz/São Paulo Morumbi) e 29 milhões 247 mil 435 passageiros nos trens da Linha 5-Lilás (Chácara Kablin/Capão Redondo).

O forte da linha 4 são os passageiros integrados. Dos 29 milhões 597 mil 589 passageiros, 25 milhões 959 mil 291 são integrados e 3 milhões 638.298 são passageiros que só usam os trens da linha 4, sem antes ou depois usarem ônibus, outras linhas de metrô ou os trens da CPTM.

RODOVIAS:

Nas rodovias, o tráfego de veículos consolidado apresentou crescimento de 14,5% no terceiro trimestre de 2021. Excluindo-se a ViaCosteira, houve crescimento de 6,8% no período, cujo contrato de concessão foi assinado em julho de 2020.

Mas no acumulado de nove meses de 2021, a queda é de 8,5%.

2021 FOI ANO DE AQUISIÇÕES:

O ano de 2021, apesar da crise, teve alguns trunfos para a CCR.

Juntamente com o Grupo Ruas Invest (ligado ao setor de ônibus), a CCR arrematou em 20 de abril de 2021, a concessão por 30 anos das linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda, as mais movimentadas da rede da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). A operação está prevista para começar em 25 de janeiro de 2022.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/04/20/ccr-e-grupo-ruas-vencem-leilao-das-linhas-8-e-9-da-cptm-metra-itapemirim-e-grupo-comporte-participaram/

Em 05 de outubro de 2021, a CCR conseguiu arrematar por 30 anos o aeroporto Carlos Drummond de Andrade (SBBH), conhecido por Aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte (MG).

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/10/05/ccr-arremata-leilao-de-concessao-do-aeroporto-da-pampulha-em-contrato-de-30-anos/

Em 22 de outubro de 2021, a CCR comprou a parte da Riopar no VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) do Rio de Janeiro e teve sua participação no empreendimento elevada de 80,82% para 87,15%.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/10/22/ccr-assume-parte-da-riopar-no-vlt-carioca-e-passa-a-deter-8715-da-concessao/

Já em 29 de outubro de 2021, a empresa conseguiu se manter por mais 30 anos na concessão da rodovia Presidente Dutra (Rio São Paulo) e de um trecho da Rio-Santos ao vencer a EcoRodovias no leilão do sistema.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/10/29/ccr-vence-leilao-de-concessao-da-dutra-e-parte-da-rio-santos/

Em 31 de agosto de 2021, durante o evento CCR Day, que teve cobertura do Diário do Transporte, o conglomerado demonstrou interesse em aumentar a participação na área de mobilidade e que enxerga como oportunidade os seguintes empreendimentos:

– TIC (Trem Intercidades) São Paulo/Campinas + Linha 7-Rubi da CPTM (São Paulo)

– TIC (Trem Intercidades) São Paulo/Santos + Linha 10-Turquesa da CPTM (São Paulo)

– CBTU Nordeste

– CBTU BH – Belo Horizonte (Minas Gerais)

– Trensurb POA – Porto Alegre (Rio Grande do Sul)

– Metrofor – Metrô de Fortaleza (Ceará)

– Linhas 11-Coral, 12-Safira e 13-Jade da CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (São Paulo)

– Metrô Brasília (Distrito Federal)

– VLT – Veículo Leve sobre Trilhos de Brasília (Distrito Federal)

Para as linhas 11, 12 e 13 da CPTM, o Grupo tem um  PMI (Procedimento de Manifestação de Interesse) pelo qual sugere como deve ser o modelo de concessão.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/08/31/ccr-confirma-interesse-nas-linhas-1112-e-13-da-cptm-tic-cbtu-metrofor-trensurb-e-trilhos-no-df-para-ampliar-participacao-em-mobilidade-em-todo-o-pais/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Felipe A. disse:

    E os funcionários da CCR seguem ganhando pouco sem os direitos devidos. Os maquinistas se arriscam e nem recebem periculosidade para atuar em equipamentos elétricos de alta tensão. Segundo a ccr os trens são alimentados por 220v! PIADA!

Deixe uma resposta