Transporte alternativo de Manaus (AM) paralisa operações nesta sexta (1º)

Ônibus do serviço convencional também são afetados, gerando maior tempo de espera pelos coletivos e filas em alguns terminais da cidade. Foto: Reprodução / Twitter @transitomanaus.

Problema no atendimento ocorre em razão de instabilidades no sistema de pagamento via bilhetagem eletrônica

WILLIAN MOREIRA

Os veículos que atuam no transporte alternativo de Manaus, estado do Amazonas, conhecidos como amarelinhos, interromperam as atividades na manhã desta sexta-feira, 1º de outubro de 2021.

A interrupção ocorreu em razão de problemas no sistema responsável pela operação dos pagamentos eletrônicos com cartão. Portanto, a bilhetagem eletrônica está inativa.

Os ônibus do serviço convencional também são afetados, gerando maior tempo de espera pelos coletivos e filas em alguns terminais da cidade.

OUTRO LADO

Em nota, a Prefeitura de Manaus, por meio do IMMU (Instituto Municipal de Mobilidade Urbana), informou que, desde as primeiras horas desta sexta-feira, acompanha o problema da Bilhetagem Eletrônica junto ao Sinetram (Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas).

Por sua vez, o IMMU alega que, “em nenhum momento, os usuários foram prejudicados com a situação”.

“O IMMU salienta que os passageiros estão tendo o direito de acesso ao sistema de transporte garantido por meio da meia-passagem estudantil, passe-livre, Cartão Cidadão e vale transporte e ainda por meio do pagamento em dinheiro da passagem.

Qualquer dúvida ou reclamação pode ser encaminhada diretamente ao IMMU pelos telefones: (92) 3632-2784 e 3653-2486.”

Já a empresa responsável pela bilhetagem diz que negocia para renovar o contrato

A Meson Amazônia informa que o Sistema de Bilhetagem Eletrônica de Manaus está inoperante em função do término do contrato entre esta empresa e o Sinetran, ocorrido no último dia 16 de setembro. Esclarecemos que o contrato era celebrado entre os entes privados, sem a participação da prefeitura de Manaus.

Esclarecemos ainda que o Sinetran havia sido informado sobre a impossibilidade de continuidade da prestação dos serviços enquanto não houvesse um instrumento válido e vigente que formalizasse tal acordo.

Por fim, ressaltamos que continuamos negociando com a entidade para a formalização de um novo contrato que possibilite a retomada dos serviços de bilhetagem eletrônica na capital amazonense.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta