Corredor Biléo Soares em Hortolândia (SP) começa a operar apenas com uma linha da EMTU em vez de quatro como previsto

De acordo com gerenciadora metropolitana, prefeitura pediu para postergar início de operação total

ADAMO BAZANI

O trecho em Hortolândia do corredor de ônibus metropolitano Vereador Biléo Soares, no interior paulista, começou a operar nesta segunda-feira, 20 de setembro de 2021, apenas com uma linha e não quatro como foi anunciado na cerimônia de entrega das obras que ocorreu na quinta-feira da semana passada, 16 de setembro.

A informação é da EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos), responsável pela obra e pelo gerenciamento das linhas.

De acordo com a empresa, só começou a operar no corredor a linha 741 – Hortolândia (Term. Metropolitano Hortolândia) / Campinas (Term. Metropolitano Prefeito Magalhães Teixeira).

A justificativa dada pela EMTU é que foi feita uma solicitação de postergação pela prefeitura de Hortolândia para organização e estruturação do sistema municipal de transporte.

A EMTU ainda diz que em breve vai informar sobre o início das operações das linhas 694, 696 e 702 no corredor.

Como mostrou o Diário do Transporte, o trecho de Hortolândia do corredor era o último a ser entregue.

O custo foi de R$ 52 milhões e a extensão é de 4,4 quilômetros da Avenida José João da Silva, próximo à Ponte Estaiada, seguindo pela Avenida Antonio da Costa Santos até as alças de acesso à Rodovia Jornalista Francisco Aguirre de Proença (SP-101).

O corredor completo deveria ter sido finalizado em janeiro de 2015.

De acordo com nota do Governo do Estado, todo corredor tem 31,7 km interligando Campinas, Santa Bárbara D’Oeste, Americana, Nova Odessa, Sumaré, Hortolândia e Monte Mor.

A estrutura completa custou R$ 455,1 milhões e conta com cinco terminais, sete estações de transferências e 23 estações de embarque e desembarque e 20 paradas.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/09/16/trecho-final-do-corredor-de-onibus-metropolitano-e-entregue-em-hortolandia-sp-nesta-quinta-16/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. adriano disse:

    Olá à todos;
    Esse corredor é uma piada sem graça e infelizmente vamos sofrer por muito tempo por uma estrutura construída “nas coxa” como se diz. Primeiro que ele não interliga nada, nenhuma cidade está conectada à outra como a EMTU afirma. Se você usar esse corredor saindo de Campinas sentido Santa Bárbara d’oeste, você simplesmente não consegue chegar. Esse corredor começa no meio da extensão da Avenida Lix da Cunha ( famosa SULESTE) e não do terminal metropolitano de Campinas, acaba ainda em Campinas no trevo da BOSCH ( via Anhanguera) onde os ônibus compartilham dali em diante as faixas com os carros, acessam a SP 101 ( campinas-monte mor) ainda compartilhando as faixas, ou seja, na hora de trânsito engarrafado, ônibus não tem preferência, fica parado mesmo junto com os demais. Na divisa de Campinas com Hortolândia acessa novamente o corredor que corta praticamente Hortolândia inteira até acabar numa plantação na divisa com Sumaré. Desse ponto até a avenida Rebouças ( que deveria ser a continuação do corredor) em Sumaré, seriam mais ou menos uns 5km que sequer mexeram, pois se trata de área de plantações diversas e na avenida Rebouças que vai até a cidade de Nova Odessa, também não mexeram , em nada, não foi feito nenhuma obra e quando essa avenida se transforma no corredor novamente já na cidade de Nova Odessa, as estações estão deterioradas, pixadas e sem uso, não há ônibus circulando pelo trecho e novamente o corredor acaba no meio do nada já em Americana próximo da rodovia que liga a via Anhanguera à Piracicaba (Sp 304, Luiz de Queiroz) e já dentro de Americana até chegar a parte pronta de Santa Barbara D’Oeste também não foi feito nada.
    Então, não existe corredor metropolitano interligando essas cidades, o que existe são pedaços de avenidas com faixas exclusivas de ônibus mas que não da pra sair de Santa Barbara passando por Americana, Nova Odessa, Sumaré e Hortolândia pra chegar em Campinas, ou vice-versa. Isso sem contar que obra começou em 2004 e até hoje não ficou pronta, por isso que esse corredor é uma PIADA.

  2. Renato Sousa da cruz disse:

    Tem tanta gente que pega ônibus na emancipação no ponto da ems de ida e volta nas linhas 694 e 696 e a emtu tá querendo mudar a rota deles pra não passar mas nesse ponto,prejudicando assim muita gente,o que e eles deveriam fazer e colocar outras linhas a mais e gerar mais emprego e não tirar o que já está certo para os trabalhadores que ali por perto ja necessitam pegar essas linhas 694 e 696 no ponto da ems de ida e volta.

  3. silvio disse:

    essa EMTU é uma piada igual a esse corredor metropolitano …oque passa na cabeça deles mudarem as rotas das linhas onde praticamente corta a cidade na onde tem as empresas ,pessoas usam o transporte público não só para ir para campinas .Quantas pessoas serão prejudicada ????

Deixe uma resposta