“Investimento na marca Busscar foi muito certeiro”- diz Paulo Ruas, em balanço sobre aquisição pelo Grupo Caio

Desde a aquisição em 2017 até o início de 2021, a Busscar já produziu mais de mil carrocerias entre diferentes modelos; Como mostrou o Diário do Transporte, empresa deve atingir 600 carrocerias somente neste ano e estimativa é de crescimento de 10% a 15% em 2022

ADAMO BAZANI

O diretor comercial do Grupo Caio, Paulo Ruas, fez um balanço positivo da aquisição da marca Busscar, incluindo o parque fabril e ferramentais, que ocorreu por meio de leilão judicial em 2017. A empresa completa 75 anos nesta semana.

Por meio de nota nesta segunda-feira, 13 de setembro de 2021, o executivo classificou o investimento na aquisição como “muito certeiro” já que ampliou o portifólio de produtos do Grupo Caio, uma vez que a encarroçadora Caio em Botucatu (SP) é especializada em ônibus urbanos e a Busscar atua no segmento rodoviário.

“Para ter este reconhecimento, contamos com um conjunto de fatores e de apoiadores. O investimento na marca Busscar foi muito certeiro, fortalecendo o Grupo, ampliando seu portfólio e leque de produtos e serviços ao nosso cliente, seja no segmento urbano ou rodoviário. Por isso tenho muito orgulho por tudo que conquistamos nos últimos anos. Além disso, é impossível falar de Busscar sem lembrar de nossos clientes, que depositaram confiança em nosso trabalho, do esforço e dedicação dos colaboradores e do reconhecimento da comunidade”. – disse.

Desde a aquisição em 2017 até o início de 2021, a Busscar já produziu mais de mil carrocerias entre diferentes modelos.

Como mostrou o Diário do Transporte na última semana em entrevista com o diretor-comercial da Busscar, Paulo Coros, a empresa deve atingir 600 carrocerias somente neste ano e estimativa é de crescimento de 10% a 15% em 2022

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/09/09/busscar-600-unidades-produzidas-para-2021-e-entregas-para-a-gontijo-a-partir-de-janeiro-de-2022/

Na nota, o Grupo Caio faz um retrospecto da compra da marca Busscar e ainda relaciona os principais empreendimentos que envolvem o conglomerado:

Há 75 anos a marca Busscar desenvolve produtos de excelência em qualidade, produzidos com tecnologia de ponta e design sofisticado e atemporal, para os mercados nacional e internacional. Em junho de 2017, após 5 anos inativa, a marca e os ativos produtivos da Busscar foram adquiridos por novos investidores, passando a integrar o Grupo Caio Induscar. Em maio de 2018, após atualização da estrutura, dos produtos e dos processos produtivos, surgiu uma nova Busscar, agora gerida pela CARBUSS – Indústria Catarinense de Carrocerias LTDA. Os produtos da marca, que atendem ao mercado de rodoviários, fretamento e turismo, são produzidos no parque fabril de Joinville. A Busscar, em sua nova fase, mantém suas raízes baseadas na excelência em qualidade, eficiência operacional, eficiência em assistência técnica, venda de peças, apreço e cuidado com cada um de seus clientes e seus passageiros, com produtos robustos, eficazes e confortáveis.

O Grupo Caio é formado por diferentes empresas e tem mais 20 anos de atuação com a atual administração, possuindo unidades fabris nas cidades de Botucatu, Barra Bonita, Betim, Joinville, e centro administrativo, na cidade de São Paulo.

Fazem parte:

  • Caio Induscar (fabricante de ônibus urbanos), com duas unidades fabris, uma em Botucatu e outra em Barra Bonita, SP.
  • Busscar (fabricante de ônibus rodoviários), em Joinville, SC;
  • Cooperbus (fabricante de chicotes elétricos), em Botucatu, SP;
  • CPA (Centro de Processamento de Alumínio), em Botucatu, SP;
  • Fiberbus (fabricante de peças em fibras), em Botucatu, SP;
  • GR3 (Centro de Distribuição de Alumínio), em Botucatu, SP;
  • Inbrasp (fabricante de peças de plásticos automotivas): duas unidades fabris, uma em Botucatu, SP, outra em Betim, MG;
  • Tecglass (fabricante de vidros temperados), em Botucatu, SP.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. claudio disse:

    Foi certeiro e mortal para a grande maioria da comunidade da antiga Busscar. Não foi uma aquisição justa, o “conjunto de fatores e apoiadores” confessos na nota, foram a parte do mal na negociação, A parte do bem, fica por conta dos profissionais “camisa Busscar” que estão hoje dando continuidade à excelência tradicional do produto, que por sua vez manteve a confiança dos Clientes tradicionais à Marca Busscar.
    Quanto ao orgulho da aquisição ….. ? O valor acordado não foi pago integralmente, pagamentos interrompidos via judicial, alegando sérias dificuldades de continuar honrando as parcelas restantes, e assim vai….
    Orgulho sim da preservação da Marca, do Produto e dos antigos colaboradores que lá permanecem produzindo e garantindo produtos de QUALIDADE MASTER.

    1. LEON disse:

      Sim Claudio, a BUSSCAR merecia coisa melhor.

  2. João Pedro Rocha de Oliveira disse:

    Muitíssimo obrigado, Caio, por trazer de volta, uma das maiores fabricantes de ônibus do Brasil, a Busscar

  3. LEON disse:

    Pena que a BUSSCAR verdadeira acabou, hoje temos produtos caio, qualidade caio. Infelismente esta é a realizadade a qualidade BUSSCAR não existe mais.

Deixe uma resposta para João Pedro Rocha de Oliveira Cancelar resposta