Diário no Sul

Prefeitura de Curitiba (PR) libera trânsito no Viaduto do Capanema

Obras de construção do Armazém da Família Capanema. Foto: Pedro Ribas/SMCS.

Interrupção havia sido realizada para a construção do Complexo de Segurança Alimentar Capanema

JESSICA MARQUES

A Prefeitura de Curitiba, no Paraná, informou que a passagem de veículos no Viaduto do Capanema, na continuação da Avenida Prefeito Omar Sabbag, foi liberada no início da noite desta terça-feira, 07 de setembro de 2021, com o fim das obras na pista.

Segundo a administração municipal, a interrupção no trânsito foi necessária para obras na junta de dilatação da estrutura, para a construção do Complexo de Segurança Alimentar Capanema, formado pelo Armazém da Família e pelo Espaço Social do Mesa Solidária.

Também foram desativados todos os bloqueios no entorno do viaduto e o tráfego flui normalmente, sem a necessidade de desvios. Assim, a linha de ônibus 305 Centenário que passa pela região retomou o itinerário normal.

OBRAS

As obras na lateral e sob o viaduto continuam sem a necessidade de bloquear o trânsito, segundo a Prefeitura, não há riscos.

“A Setran e a SMOP (Secretaria Municipal de Obras Públicas) programaram o bloqueio para o fim de semana e feriado de modo a causar o menor impacto possível ao tráfego de quem passa rotineiramente pela região. A previsão era a de finalizar os trabalhos na quinta-feira (9/9) pela manhã, mas foi possível terminar com antecedência e abrir o viaduto à passagem dos veículos.”

O Departamento de Edificações da Secretaria Municipal de Obras Públicas coordenou o trabalho de substituição de duas juntas de dilatação da estrutura viária. Segundo a Prefeitura, sob o ponto do viaduto que receberá as juntas de dilatação está sendo construído Armazém da Família e Espaço Social Capanema e a troca acontece neste momento para não afetar o novo local de referência em solidariedade e alimentação saudável.

O novo Armazém da Família e Espaço Social Capanema terá 661,66 m² e está recebendo o investimento de R$ 1.728.810,14.

O local se transformará no complexo de segurança alimentar que disponibilizará gêneros alimentícios a preços acessíveis e oferecerá refeições a pessoas em situação de vulnerabilidade social em um salão com 80 lugares preparado com mesas e cadeiras.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Deixe uma resposta