Eletromobilidade

Estado da Virgínia, nos EUA, usa recursos do escândalo “dieselgate”, da Volkswagen, para trocar 86 ônibus escolares a diesel por elétricos ou a propano

Dominion Energy tem distribuído 50 ônibus elétricos para divisões escolares em todo o seu território de atuação

Governo gastará mais de U$ 10,5 milhões, cerca de R$ 56,5 milhões, em fundos do acordo de ressarcimento aos danos ambientais firmado entre os EUA e a fabricante alemã para cobrir a diferença de preço entre os veículos a diesel e os movidos a combustível alternativo

ALEXANDRE PELEGI

O governo do estado da Virgínia, nos Estados Unidos, decidiu utilizar mais de 10,5 milhões de dólares, cerca de R$ 56,5 milhões em fundos do acordo “Dieselgate” da Volkswagen para substituir 83 ônibus escolares em 19 regiões por ônibus elétricos ou movidos a propano.

O projeto é uma parceria entre o governo estadual, administrado pelo governador Ralph Northam, e a Dominion Energy, empresa americana de energia com sede em Richmond, Virgínia, que fornece eletricidade e gás natural.

Nessa quinta-feira, 19 de agosto de 2021, Northam anunciou que a Virgínia utilizará o dinheiro para cobrir a diferença de preço entre os ônibus a diesel e os movidos a combustível alternativo.

Os fundos do acordo “Dieselgate” referem-se a recursos pagos pela fabricante alemã como ressarcimento pelo escândalo da fraude para fingir menor emissão de gases poluentes, que abalou a indústria de carros em todo o mundo.

Nos Estados Unidos, a Volkswagen assumiu a culpa dos crimes de fraude e obstrução da Justiça, e teve de pagar uma pesada indenização. Além do valor destinado aos compradores dos carros adulterados, a empresa concordou em pagar US$ 2,7 bilhões a um fundo da EPA, agência de proteção ambiental dos Estados Unidos, como penalidade pelo dano ao meio ambiente causado pelos carros fraudados. Além disso, se comprometeu a investir US$ 2 bilhões em projetos e na promoção de veículos zero emissão no país.

O maior volume de recursos vai para o condado de Fairfax, parte da região metropolitana de Washington, D.C., que receberá 10 ônibus escolares elétricos a um custo de US$ 2,65 milhões (R$ 14,2 milhões). Já os condados de Virginia Beach, Newport News, Halifax e Chesterfield também receberão 10 ônibus, mas todos movidos a propano.

O Diretor do Departamento de Qualidade Ambiental da Virgínia, David Paylor, estimou que as substituições dos ônibus escolares reduzirão as emissões de dióxido de carbono em 10.000 toneladas anuais.

A iniciativa, no entanto, recebeu críticas do movimento ambientalista nacional Mothers Out Front, formado por mulheres que se mobilizam para proteger seus filhos.

O movimento divulgou um comunicado dizendo que estava “desanimado” com a inclusão dos ônibus a gás propano na proposta do governo da Virgínia.

“Pedimos ao governador Northam que se comprometa com uma frota totalmente elétrica na segunda rodada deste programa”, escreveu o grupo.

Ao todo, a Virgínia se comprometeu a colocar US$ 20 milhões (R$ 107,5 milhões) em fundos da Volkswagen para substituir ônibus escolares a diesel pro frotas com baixa emissão.

No início deste mês, as escolas do condado de Chesterfield ligaram seus primeiros dois ônibus escolares elétricos que adquiriram como parte de um programa administrado pela concessionária Dominion Energy.

A Dominion tem distribuído 50 ônibus elétricos para divisões escolares em todo o seu território.

A mudança para a tecnologia elétrica no transporte escolar ocorre no momento em que os alunos voltam para a escola e muitas localidades estão em busca de motoristas.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Informe Publicitário
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta