Informe publicitário

Transdata lança o novo dispositivo embarcado de classe internacional

Visate, de Caxias do Sul, foi a primeira empresa a adotar o AtlasBox. Foto: Jardel Moraes / Ônibus Brasil

Ao mesmo tempo que a mobilidade ganha destaque no mundo, os desafios do transporte coletivo aumentam diariamente, atingindo cidades de todos os tamanhos, empresas com frotas enormes ou enxutas. Das mudanças no setor de transporte coletivo ao novo comportamento dos clientes e passageiros – com acesso a diversas tecnologias e aplicações – tudo vira inspiração para o desenvolvimento de soluções mais inteligentes para a mobilidade moderna.

Diante desse cenário, e após anos trabalhando para criar o que há de melhor em tecnologias de ITS, a Transdata lança o AtlasBox, a nova geração de dispositivos embarcados e multifuncionais, que permitem integrações operacionais para serem mais completos e inovadores.

O AtlasBox faz a interface com o software da Transdata atuando como uma central de processamento e gestão de tecnologias, permitindo pagamentos multimeios, controle operacional, telemetria e outras integrações. Suas funcionalidades, aplicações, capacidade de processamento de dados e memória são similares às de um computador. Entre as novidades desse hub, é possível citar o display touch screen com armadura em vidro Gorilla Glass. “É resultado de quatro anos de trabalho, com parceiros de alto nível, como a Bosch®, que participou de todo o projeto do gabinete. Para dar maior resistência à tela multitouch, usamos o mesmo Gorila Glass que equipa os smartphones topo de linha da Samsung, por exemplo”, explica Rafael Teles, Diretor de Produto da Transdata.

Desenvolvido para atender as normas internacionais mais exigentes, antes mesmo do lançamento oficial, a Transdata já vendeu 300 unidades do AtlasBox (saiba mais).

O novo dispositivo faz parte da nova plataforma de ITS da empresa, que recebeu o nome de Atlas e integra todas as tecnologias embarcadas para a exploração do transporte coletivo – desde a bilhetagem eletrônica até a telemetria, passando pelo videomonitoramento e biometria facial. Ou seja, em uma única plataforma, foi possível reunir todos esses módulos, facilitando o dia a dia das empresas para administrar e gerenciar toda operação de ITS, desde o transporte urbano ao intermunicipal.

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta