Linha 17-Ouro de monotrilho, em São Paulo, atenderá o Paraisópolis, diz Baldy

Estação Campo Belo que já se encontra em construção, tem previsão de entrega estimada em 2022, uma vez que Alexandre Baldy já informou que no próximo ano será feita a entrega de parte da linha. Foto: Diário do Transporte

Secretário do governo Doria também afirmou que a linha passará pela Avenida Hebe Camargo

WILLIAN MOREIRA

Em um evento na Associação Comercial de São Paulo na última quinta-feira, 05 de agosto de 2021, o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, detalhou o andamento das obras da Linha 17-Ouro de monotrilho e suas fases de expansão no bairro do Morumbi.

Segundo Baldy, será anunciada nesta semana a retomada das obras de expansão, além da estação Morumbi que integrará com a Linha 9-Esmeralda, chegando até a Avenida Francisco Morato e a Linha 4-Amarela.

Outra região que será atendida pelo monotrilho em construção, será a região do Paraisópolis, por meio do sistema sendo implantado na Avenida Hebe Camargo e depois seguindo até o o Estádio da equipe esportiva do São Paulo, o Estádio do Morumbi.

“Nós ainda na discussão nessa semana, não é Silvani, não era possível chegar ao Estádio do Morumbi com a Linha 17-Ouro porque ali foi construído duas torres aonde era exatamente o sentido do monotrilho passaria, mas o Metrô encontrou uma alternativa. Então nos próximos dias nós vamos anunciar que esse projeto vai ser retomado para chegar ali da estação Morumbi na Marginal passando pela comunidade do Paraisópolis, na Hebe Camargo, e ligando até a Linha 4-Amarela na estação Morumbi. Então quer dizer, Morumbi vai ter três homenagens, as duas estações, o próprio estádio e a retomada dessa obra que é muito importante”, afirmou o secretário durante o evento.

Sem detalhes e sem um anúncio oficial ainda, o projeto poderá atender uma demanda antiga da população da região do Paraisópolis, que carece de alternativas do meio de transporte, dependendo exclusivamente dos ônibus, sem contar atualmente com o sistema metroviário.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Duarte Novais disse:

    Acho que vou morrer, mas não verei essa linha operando.A incompetência para concluir esta obra é demais!!!

Deixe uma resposta