Eletromobilidade

Go-Ahead, operadora de transporte no Reino Unido, terá somente ônibus com emissão zero até 2035

Com uma frota de 5 mil veículos, meta da empresa é atingir neutralidade de carbono até 2045

ALEXANDRE PELEGI

O transporte público é parte da solução para as mudanças climáticas. Esta estratégia define como nos tornaremos um negócio com emissões líquidas zero até 2045”.

Essa frase resume um dos principais pilares estratégicos da Go-Ahead, grupo de transporte internacional e um dos principais fornecedores de transporte público do Reino Unido.

Atingir a neutralização de carbono até 2045 passa, antes, em converter toda a frota do grupo de 5.000 ônibus no Reino Unido em veículos com emissão zero até 2035. Isso representará um corte de 75% nas emissões da operadora de transporte. Mais: se as metas foram alcançadas, elas acontecerão cinco anos antes do que foi determinado pelo governo do Reino Unido.

Em comunicado à imprensa, o grupo define suas metas exigentes como as mais ambiciosas do setor, e afirma que serão alcançadas por meio de uma combinação de investimento em tecnologia de carbono zero, combate ao desperdício e aumento significativo na reutilização e reciclagem de materiais.

Mais ainda: mudanças nos negócios da Go-Ahead serão acompanhadas por iniciativas que incentivem viagens ativas, “e a empresa hoje apela ao governo para que incentive a mudança do uso do carro para o uso a pé, de bicicleta e de transporte público”, diz o texto.

ESTRATÉGIA

No centro da estratégia da Go-Ahead estará uma mudança completa na tecnologia da energia a diesel para os modos de transporte com zero carbono – incluindo energia elétrica e hidrogênio.

Os pontos de referência do caminho da Go-Ahead rumo à descarbonização incluem várias ações, começando pela conversão de toda sua frota de 5.000 ônibus do Reino Unido em veículos com emissão zero até 2035.

O grupo promete ainda uma frota ferroviária descarbonizada em 2035. Sim, porque além de operar serviços de ônibus em todo o Reino Unido, bem como na Irlanda e em Cingapura, a Go-Ahead também atua na operação ferroviária do Reino Unido, onde é responsável por mais de 30% de todas as viagens de passageiros de trem. Internacionalmente, ela opera contratos ferroviários na Noruega e na Alemanha.

Até 2025 a empresa buscará melhorias na qualidade do ar por meio de uma queda de 17% nas emissões de monóxido de carbono, um corte de 49% nos hidrocarbonetos, uma queda de 63% nos óxidos de nitrogênio e um corte de 55% nas partículas de veículos

Outro ponto destacado pela operadora de transporte é obter uma redução de 25% no uso de água até 2025 “por meio de uma redução significativa no vazamento, juntamente com uma gestão responsável em todas as operações”.

Fechando a lista de referências que constituem os pilares estratégicos da Go-Ahead estão uma melhoria significativa na eficiência energética em todas as suas instalações até 2035, e uma redução do volume geral de resíduos e reciclagem de 60% dos resíduos até 2025.

O CEO do Go-Ahead Group, David Brown, destaca: “As mudanças climáticas são o desafio número com que a sociedade se defronta e, para enfrentá-las, devemos fazer mudanças radicais na forma como viajamos. Se realmente levamos a sério a proteção da saúde de nosso planeta, empresas como a nossa devem mostrar liderança”.

David Brown completa: “Nosso plano de mudança climática é ambicioso, mas viável, e é consistente com as metas internacionais de limitar qualquer aumento na temperatura global a 1,5 ° C. Faremos a nossa parte descarbonizando o nosso negócio e investindo em tecnologias ambientalmente sustentáveis. Esperamos que nosso compromisso corresponda a uma mudança mais ampla nas políticas públicas de transporte, encorajando as pessoas a caminhar ou andar de bicicleta sempre que possível, usar ônibus e trens como alternativa, mas usar o carro apenas se for absolutamente necessário”.

TECNOLOGIA PIONEIRA

Em seu comunicado, distribuído nesta semana, a Go-Ahead afirma estar empenhada em investir em tecnologia pioneira com objetivos ambientais. “O grupo opera os primeiros ônibus com filtro de ar da Grã-Bretanha, que removem a poluição do ar enquanto viajam pelas ruas de Southampton. Ônibus com tecnologia de geofencing mudam automaticamente para o modo carbono zero quando entram no centro da cidade de Brighton, e estamos testando painéis solares em ônibus na Grã-Bretanha e em Cingapura”.

Neste verão, a Go-Ahead antecipa a implementação de energia “bus to grid” no depósito de Northumberland Park, no norte de Londres. A bus to grid (ou Bus2Grid) é uma tecnologia inteligente, que fornece carregamento bidirecional capaz de alimentar a rede elétrica. A energia armazenada na bateria de um veículo elétrico é enviada de volta à rede elétrica, recarregando quando a demanda é baixa e colocando energia na rede quando ela está alta.

Este projeto, em parceria com a SSE Enterprise, BYD, Leeds University e UK Power Networks, transformará a garagem de ônibus em uma central elétrica virtual, com baterias elétricas de ônibus capazes de alimentar a rede em horários de alta demanda.

Northumberland Park é a maior garagem de ônibus elétricos da Europa. Um teste inicial usará baterias de 28 ônibus de dois andares, capazes de retornar mais de um megawatt de energia para a rede elétrica.

Northumberland Park, garagem da Go-Ahead em Londres, é a maior de ônibus elétricos da Europa

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta