ENTREVISTA: VEM Mairiporã (Eduardo Medeiros) vai entrar na Justiça para continuar prestando serviços na cidade

Empresa atua com ônibus que operaram em Diadema

Em Diário Oficial nesta quarta-feira (06), foi publicada contratação de outra companhia, a Rosa; Proprietário da VEM Mairiporã diz ter sido pego de surpresa

ADAMO BAZANI

Ouça no ícone abaixo:

A empresa de ônibus Eduardo Medeiros (VEM Mairiporã) deve entrar na Justiça para continuar atuando na cidade de Mairiporã, na Grande São Paulo, e contesta a contratação de outra companhia para a operação das linhas municipais.

A informação é do proprietário da empresa, Eduardo Medeiros, em entrevista ao Diário do Transporte na tarde desta quarta-feira, 07 de julho de 2021.

Como mostrou a reportagem, foi publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo desta quarta-feira o extrato de contrato assinado com dispensa de licitação com a Viação Rosa Ltda.

Pelo documento, assinado em 02 de julho de 2021, a Rosa prestará serviço de transporte coletivo de passageiros em caráter emergencial pelo prazo de 180 dias.

O modelo de contratação é de “parceria pública” .

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/07/07/mairipora-assina-contrato-emergencial-com-viacao-rosa-para-o-transporte-municipal/

De acordo com Medeiros, não houve nenhum comunicado por parte da prefeitura sobre o ato.

Segundo o empresário, tanto o contrato atual com a VEM Mairiporã como o processo de intervenção da prefeitura no sistema estão válidos.

“Com a intervenção ocorrida no dia 9 do mês passado [09 de junho de 2021], a promessa da prefeitura é que eles iam analisar para ver se realmente os números apresentados conferiam com a realidade do transporte coletivo de Mairiporã e eles [prefeitura] identificando que o sistema não se sustentaria, colocariam a casa em ordem e devolveriam à empresa para que a gente continuasse operando normalmente com, inclusive, promessa de subsídio, o que foi amplamente divulgado nas redes sociais do prefeito de Mairiporã” – disse Eduardo Medeiros.

O contrato com a VEM ainda está vigente, sendo assinado em 26 de fevereiro de 2021 por 180 dias, com validade até 24 de agosto, no valor de R$ 9,1milhões (R$ 9.138.857,36).

Trata-se de uma prorrogação do primeiro prazo de contrato emergencial que teve origem numa licitação realizada em julho de 2020.  A VEM assumiu as linhas municipais em 25 de agosto de 2020.

Medeiros conta que em dezembro de 2020 participou de uma licitação para um contrato de dez anos.

Houve uma discussão judicial e a VEM foi declarada vencedora.

O empresário disse que em março de 2021 o contrato de dez anos já estava liberado para a assinatura, o que não ocorreu até o momento também sem justificativa do poder público.

Medeiros contou ainda que a prefeitura alegava para a intervenção queda de qualidade na prestação de serviços, mas que a empresa justificou que o fato se deve a um desequilíbrio econômico, com retorno financeiro inferior ao que está no contrato.

“A prefeitura já há algum tempo estava descontente com a queda de qualidade dos ônibus, mas isso foi justificado para a prefeitura, a falta de equilíbrio econômico e financeiro para o contrato. Mairiporã tem uma previsão, pelo menos no edital de licitação, era um faturamento médio de R$ 1,2 milhão a R$ 1,5 milhão; hoje a empresa não fatura R$ 500 mil, não cobre os custos de operação” – explicou.

Os ônibus zero quilômetro comprados para o início da operação foram devolvidos em solução amigável ao Banco Volkswagen, que fez o financiamento, e foram colocados ônibus usados alugados, de acordo com o empresário.

Medeiros disse que atualmente a média é de 150 mil passageiros pagantes por mês e antes da pandemia de covid-19 eram 360 mil passageiros.

O empresário destacou ainda que os passageiros não devem se preocupar porque se depender da companhia de ônibus, os serviços não serão interrompidos.

O Diário do Transporte pediu um posicionamento da prefeitura de Mairiporã e aguarda retorno.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Comentários

  1. Pedro Luís disse:

    Justificativa do prefeito Aladim Séc de compras Rafael e Sec de governo Rômulo é que essa empresa Eduardo Medeiros é herança maldita do antigo prefeito coisa sem nexo pois eles vinha fazendo uma ótima operação com certeza não ajudou na campanha por isso foram expulso da cidade eu como cidadão mariporiense me sinto indignado com atitudes de pessoas que estão administrando a cidade que não mora e não conhece Mairipora…..um dia eu estava no terminal aguardando ônibus e o prefeito e seus secretários estava xingando a empresa e falando que iria arrancar eles da cidade.

  2. Araujo disse:

    Essa empresa Eduardo de Medeiros é horrível. Operam precariamente, deixam funcionários sem salários e agora se fazem de santo. Foram colocados como jogada de marketing pelo prefeito anterior, chegaram com ônibus tudo novinho, cheio de “luxo”, só foi o outro prefeito perder a eleição, a empresa trocou todos os ônibus por ônibus usados caindo aos pedaços. A população já reclamava da antiga empresa ETM que era ruim, mas essa empresa VEM nos faz sentir saudades da ETM. Tomara que de certo de tirar esse elefante branco daqui.

  3. Douglas Melo disse:

    Ainda não sei pq tiraram a ETM das linhas municipal ! A empresa fazias as linhas e tinha ônibus que atendia a demanda ! Sobre as qualidades dos ônibus da ex operadora e a atual, as estradas não ajudam tbm

  4. Licia disse:

    Empresas horrível servico de má qualidade ,ônibus quebrado sempre,já vai tarde!

  5. José Emílio de Souza disse:

    A empresa de ônibus VEM transporte não respeita os seus usuários, ônibus sem freios, tiram horários sem aviso prévio deixando os usuários apé e perdidos.

  6. carlos souza disse:

    É só estatizar tudo e sob controle popular pra sempre e acaba essa mehrdhy@.Troca no Brasil,o país do crime,só a do seis por meia-dúzia.É que nem time que troca de técnico.Muda a filosofia,mas os resultados não aparecem,e quando aparecem,é só mehrdhy@.O problema é de ética,mesmo.

  7. Sylvio disse:

    O povo está saturado de entra e sai empresa e o atendimento continua péssimo…
    Tá precisando de meia dúzia de “nóia” incendiar veículos dessas desleixadas e mal administradas empresas pra que o poder público tome providências .
    Merecemos respeito e transporte descente….

    1. Joao Pedro disse:

      nao concordo em queimar onibus uma vez que a culpa nao é ada empresa e sim a administracao publica por que para empresa vem o prefeito nao deu subsidio ja para empresa ROSA vai dar mais de 1 milhao por mes detalhe a empresa rosa transportes esta sob recuperação judicial

  8. Raquel Enfermeira disse:

    engraçado que para empresa VEM esse prefeito não deu nenhuma ajuda de subsidio já para a Rosa que esta sob recuperação judicial o prefeito Aladim vai dar R$ 1.200,000 por mês de subsidio. muito estranho isso viu acho que nós como usuário merecemos respeito vamos aguarda essa nova ROSA TRANSPORTES

  9. FABIANO ALVES DA SILVA disse:

    1 qualidade de serviço prestado péssima
    2 não existe manutenção dos veículos
    3 não cumprimento de horários
    4 na minha opinião, já vai tarde.

Deixe uma resposta para Licia Cancelar resposta