Ricardo Nunes cria comissão para Carnaval de Rua e eventos com Secretaria de Mobilidade e Transportes entre as integrantes em São Paulo

Foliões sobem em trólebus, veículos que têm componentes elétricos no teto, em uma das edições passadas no Carnaval de Rua em São Paulo.

Publicação oficial deste sábado (03), formaliza intenção da prefeitura em retomar eventos que gerem aglomerações e impactos na rede de ônibus e trânsito

ADAMO BAZANI

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, publicou de forma oficial neste sábado, 03 de julho de 2021, o decreto 60.358 que cria comissões para montar grandes eventos na cidade a serem realizados entre este ano e 2022, dentre os quais, o Carnaval de Rua no ano que vem.

Durante a semana, Nunes já havia declarado que pretende abrir novamente em breve a Avenida Paulista e o elevado João Goulart (minhocão) aos domingos para pedestres, fazer o Réveillon na Avenida Paulista e, nas palavras dele, “promover o maior Carnaval de Rua da história de são Paulo em 2022”.

De acordo com o decreto, a criação das comissões se dá pela “previsão de que os números de casos, de internações e de morte decorrentes da Covid-19 devem se reduzir nos próximos meses”

Entretanto, a publicação oficial destaca também que os eventos “só ocorrerão caso haja autorização dos órgãos municipais de saúde” e depois de que “mais de 70% da população adulta já tenham sido vacinados contra a Covid-19”

O decreto não especifica se essa vacinação trata-se da imunização completa ou só da primeira dose.

Especialistas em Saúde Pública advertem que as cidades só devem retomar de forma gradativa à normalidade apenas depois de 70% da população com as duas doses tomadas no caso de imunizantes que necessitem de mais de uma aplicação, o que são maioria no Brasil, como a AstraZeneca/Oxford, Pfizer e CoronaVac.

Apenas a vacina da Janssen necessita de dose única.

O decreto prevê a criação de duas comissões:  Comissão Especial de Organização do Carnaval de Rua 2022 e Comissão Especial de Organização de Eventos Festivos na Cidade de São Paulo nos anos de 2021 e 2022, esta que incluiu o Carnaval no Sambódromo, Natal, Réveillon, entre outros.

Ambas são formadas por diferentes secretários e, nos dois casos, está o secretário Municipal da Mobilidade e Transportes, Levi Oliveira, em decorrência dos impactos que estes eventos geram na rede de ônibus da cidade e no trânsito.

Em dias de Carnaval de Rua, por exemplo, centenas de linhas de ônibus têm os trajetos encurtados ou desviados.

Na região de Pinheiros, na zona Oeste, há impactos na linha 4-Amarela de metrô, operada pela Via Quatro, com fechamento de estações, sendo necessárias operações especiais de ônibus.

Há também diversos casos de depredações de ônibus, terminais e estações de trens e metrô.

No Carnaval de Rua em fevereiro de 2020, quando a covid-19 já era de conhecimento do mundo, a cidade de São Paulo reuniu em torno de 15 milhões de pessoas.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta