Terminais São Mateus e Pinheiros voltam a operar normalmente depois de atos de vandalismo contra ônibus

Passageiros tiveram de seguir a pé

Coletivos tiveram vidros trincados, pneus esvaziados e correrias de motor cortadas nesta segunda (28); Polícia vai investigar relação com ataques semelhantes que ocorreram no dia 14 de junho

ADAMO BAZANI

Os terminais de ônibus Pinheiros, na zona Oeste da capital paulista, e São Mateus, na zona Leste, voltam a operar normalmente há pouco depois de coletivos nas imediações serem alvos de vandalismo por um grupo de pessoas.

De acordo com informações de funcionários no local, parte dos vândalos usava toucas-ninja para dificultar as investigações.

Diversos coletivos tiveram vidros trincados, pneus esvaziados e correrias de motor cortadas nesta segunda-feira, 28 de junho de 2021.

Os ataques se assemelham às ações que ocorreram no dia 14 de junho de 2021, na região do Terminal Parque D.Pedro II, quando também ônibus foram vandalizados.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/06/14/normalizacao-do-terminal-as-8h50ato-com-vandalismo-contra-empresa-paralisa-onibus-e-causa-confusao-na-regiao-parque-dom-pedro-ii-na-capital-paulista/

Pela semelhança das ações, a Polícia Civil vai investigar a relação entre os atos.

Segundo a SPTrans (São Paulo Transporte), que gerencia o sistema de ônibus da cidade, além de os ataques nos terminais, coletivos também foram vandalizados em vias públicas.

Por volta das 7h, um grupo atacou dois veículos, sendo um na Av. Ragueb Chofhi com a Av. Aricanduva e o outro na mesma avenida com a Av. Jacu Pêssego. Ambos tiveram os pneus esvaziados.

Foram necessários também desvios em itinerários nas regiões de ambos os terminais, como explicou a SPTrans, em nota.

A SPTrans informa que após atos de vandalismo em dois terminais, os ônibus municipais voltam a circular normalmente na manhã desta segunda-feira, 28 de junho. Ônibus foram alvo de vandalismo desde as 6h de hoje nos terminais Pinheiros, na Zona Oeste, e São Mateus, na Zona Leste, e na Avenida Ragueb Chohfi, também em São Mateus.

Às 9h05, os coletivos foram realocados e o atendimento no Terminal São Mateus está sendo normalizado gradativamente. Às 7h35, os coletivos foram removidos do Terminal Pinheiros e os desvios foram desativados.

Vandalismo

Por volta das 7h, um grupo de manifestantes atacou dois coletivos, sendo um na Av. Ragueb Chohfi x Av. Aricanduva e o outro na mesma avenida com a Av. Jacu Pêssego. Ambos tiveram os pneus esvaziados, porém, houve obstrução apenas parcial do viário.

Segundo informações preliminares, um grupo de manifestantes realizou um ato na entrada do Terminal Pinheiros, sendo retiradas as chaves dos coletivos e cortada a correia do motor de alguns veículos.

O mesmo aconteceu no Terminal São Mateus. Há informações de que três coletivos tiveram os pneus esvaziados, obstruindo totalmente a entrada do Terminal.

A Polícia Militar e a equipe de fiscalização foram acionados. A SPTrans repudia atos de vandalismo e contata a Polícia Militar em tais circunstâncias.

Desvio alternativo feito nas linhas do Terminal Pinheiros:
637A/10 Term. Jd. ngela – Term. Pinheiros
637A/21 Vl. Remo – Term. Pinheiros
637A/25 Piraporinha – Term. Pinheiros
637A/26 Term. Guarapiranga – Term. Pinheiros.

Seguindo normal até o Av. Brig. Faria Lima e após retorna no Largo da Batata para o bairro.

O Sindmotoristas, que representa os motoristas e cobradores de ônibus, nega envolvimento nos ataques pelos vândalos, e classificou as ações como “repugnantes”.

A direção do Sindmotoristas foi surpreendida na manhã desta segunda-feira (28), com a notícia de que ônibus dos Terminais Pinheiros e São Mateus foram alvos de atos de vandalismo. Esta já é a segunda vez que veículos foram marginalizados na capital.

O presidente da entidade Valdevan Noventa, lamenta o episódio. “Nos preocupamos com a integridade física dos trabalhadores e dos usuários de ônibus. Ainda não sabemos quais são as razões desta ação, mas é lamentável e repugnante qualquer ato de vandalismo. Já estamos vivendo tempos difíceis com a pandemia e ainda nos deparamos com marginais tirando a tranquilidade de quem quer trabalhar”, disse.

O primeiro ato – que aconteceu no dia 14, nas adjacências do Viaduto do Diário Popular, prejudicando a circulação de mais de 30 linhas que acessam o Terminal Parque Dom Pedro II – ainda está sob investigação da polícia.

De acordo com denúncias, a exemplo da nota publicada no Diário do Transporte, as ações teriam sido encabeçadas por um ex-motorista que estava acompanhado de um grupo de desempregados ligados à Viação Metrópole Paulista.

Sobre a postura da SPTrans que tem buscado atribuir os atos ao sindicato, sem qualquer prova e sem estar baseada na investigação policial – que sequer foi concluída – o presidente do sindicato, Valdevan Noventa, promete tomar providências jurídicas por difamação e denunciação caluniosa.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Os carimbos sobre as imagens foram necessários porque da última vez, os créditos foram cortados e as fotos roubadas.

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta