Ministério da Saúde coloca trabalhadores do transporte coletivo como prioridades para as novas doses da vacina contra a covid-19 em todo o País

Profissionais de ônibus rodoviários devem estar contemplados

Motoristas das linhas rodoviárias serão incluídos; Orientações sobre a vacinação e a divisão das doses por Unidade Federativa estão no 25º informe técnico divulgado nesta quarta-feira (23)

ADAMO BAZANI

Colaborou Jessica Marques

O Ministério da Saúde informou nesta quarta-feira, 23 de junho de 2021, que os trabalhadores em transportes coletivos, seja urbano, metropolitano e “rodoviário de longo curso” devem ser prioridades para receber as novas doses de vacinas contra a covid-19.

As orientações sobre a vacinação e a divisão das doses por Unidade Federativa estão no 25º informe técnico e foram confirmadas pela assessoria de imprensa da pasta.

Alguns estados já iniciaram a imunização dos trabalhadores, em especial motoristas e cobradores que atuam em linhas urbanas e metropolitanas, mas além de haver cidades sem ainda vacinação, em grande parte das localidades, os motoristas dos rodoviários não foram contemplados até agora.

De acordo com a pasta, por meio de nota, até sexta-feira, 25 de junho de 2021, mais de sete milhões de doses de vacinas Covid-19 serão distribuídas para todos os estados e Distrito Federal. Outras categorias profissionais, como profissionais do ensino superior, também são recomendadas para receberam a imunização.

Veja nota na íntegra e abaixo o informe técnico.

Nesta semana, o Ministério da Saúde tem uma excelente notícia aos trabalhadores do transporte coletivo. Motoristas, cobradores e outros profissionais que atuam em transportes coletivos estão contemplados e serão priorizados na vacinação contra o coronavírus. Nas próximas 48 horas, mais de 7 milhões de doses de vacinas Covid-19 serão distribuídas para todos os estados e Distrito Federal.

A novidade fica por conta do imunizante da Janssen: o primeiro lote que chegou ao Brasil nesta terça-feira (23), com 1,5 milhão de doses, já começa a ser entregue às Unidades Federativas. A distribuição também conta com 3,2 milhões de doses do Butantan e outros 2,3 milhões de doses da Pfizer.

Outra boa notícia é que mais dois grupos prioritários passam a ser atendidos: profissionais do ensino superior e trabalhadores do transporte coletivo rodoviário urbano e de longo curso de passageiros, reforçando que a vacinação caminha em ritmo acelerado no País.

As novas remessas também são destinadas para vacinação de trabalhadores do ensino básico, forças de segurança e salvamento, Forças Armadas, pessoas com comorbidades, gestantes e puérperas com comorbidades, e pessoas com deficiência permanente.

A estratégia de distribuição é definida em reuniões entre União, estados e municípios, observando as confirmações do cronograma de entregas por parte dos laboratórios. O objetivo é garantir a cobertura vacinal no tempo recomendado de cada imunizante: 12 semanas para a vacina da Pfizer e quatro semanas para a do Butantan. Já a vacina da Janssen é de aplicação única.

As orientações sobre a vacinação e a divisão das doses por Unidade Federativa estão no 25º informe técnico

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta