Ônibus de Campinas (SP) terão redução de horário a partir das 20h devido ao toque de recolher

As frotas no pico da manhã, entre 5h e 8h30; no entrepico; e no pico da tarde, entre 16h30 e 19h30, serão mantidas. Foto: Divulgação / Emdec.

Medida entra em vigor nesta segunda (21)

JESSICA MARQUES

Os ônibus de Campinas, no interior paulista, terão redução nos horários de circulação a partir das 20h. A mudança tem início nesta segunda-feira, 21 de junho de 2021, devido ao toque de recolher, estabelecido a partir das 19h.

A partir das 20h, as viagens ocorrerão de hora em hora, de acordo com a administração municipal. A última viagem que será realizada pelas linhas troncais (linhas que percorrem os principais eixos, ligando os bairros ao Centro e vice-versa), do Centro para os bairros, será às 23h.

Além disso, após a chegada das linhas troncais nos terminais, as linhas alimentadoras (que ligam os terminais aos bairros) farão a última viagem.

Ainda segundo a Prefeitura, a operação do serviço “Corujão” será mantida com a realização de duas viagens, no final da madrugada, para reforçar o início da operação normal do sistema.

A operação diurna do transporte público não sofrerá alterações. As frotas no pico da manhã, entre 5h e 8h30; no entrepico; e no pico da tarde, entre 16h30 e 19h30, serão mantidas.

A medida é uma forma de prevenção à covid-19, segundo a Prefeitura. As alterações serão realizadas por meio da Setransp (Secretaria de Transportes) e da Emdec (Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas).

“As novas medidas terão validade até nova decisão da Administração municipal sobre as condutas de restrição de circulação e isolamento. Para mais informações sobre o sistema de transporte público, os usuários contam com o aplicativo CittaMobi, disponível para sistemas operacionais Android e iOS. Ele informa, em tempo real, o horário da chegada do ônibus, itinerários, localização dos pontos de embarque / desembarque, acessibilidade, entre outras funcionalidades.”

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta