Eletromobilidade

Prefeitura de São Vicente recebe representante da EMTU para discutir terceira fase do VLT

Foto: prefeitura de São Vicente

Reunião nessa sexta-feira (18) abordou, dentre outros temas, integração dos diferentes modais na região metropolitana da Baixada Santista

ALEXANDRE PELEGI

O prefeito de São Vicente, Kayo Amado, reuniu-se com parte de seu secretariado com o chefe de Fiscalização da EMTU, Fábio Coelho.

O encontro, realizado nessa sexta-feira, 18 de junho de 2021, versou sobre a terceira fase do Veículo Leve sobre Trilhos.

Dentre os assuntos discutidos, segundo a prefeitura do litoral paulista, estava a questão da zeladoria que cabe a cada ente ao longo do trajeto do VLT. Além disso, eventuais ajustes para melhorar o atendimento por parte dos ônibus metropolitanos, operados pela EMTU.

Fábio Coelho explicou que a faixa central do VLT cabe à concessionária BR Mobilidade, e o que extrapola essa área é de competência do Município. “A Prefeitura já vem cuidando e nosso objetivo é estreitar essa relação para agilizar os atendimentos e soluções de eventuais problemas”, explicou o representante da EMTU.

As obras na Ponte dos Barreiros, já em andamento, também foram tema do encontro.

A estrutura deve receber, futuramente, as obras da linha férrea paralela para a operação do VLT, alcançando a Área Continental. Essas intervenções são de responsabilidade do Governo do Estado de São Paulo.

O secretário de Desenvolvimento e Obras Públicas (Sedup), Paulo Fiamenghi, contou que a Prefeitura já cuida de toda a recuperação rodoviária da Ponte dos Barreiros, mas lembrou que é preciso que haja essa integração que virá no futuro, para a recuperação da parte ferroviária. “Nossas tratativas são neste sentido. Além disso, aproveitamos para discutir um convênio que visa definir as responsabilidades da BR Mobilidade e da Prefeitura quanto à zeladoria na faixa de domínio do VLT”, explica.

Já o prefeito Kayo Amado comentou que a reunião foi importante para já começar a se definir junto à EMTU o que será feito após a conclusão das obras da Ponte dos Barreiros, já que futuramente a ponte ferroviária ao lado será usada pelo VLT. “Também aproveitamos para dar início à discussão sobre a integração dos modais, que é um grande desafio, mas pretendemos resolver nessa gestão”, concluiu Kayo Amado.

O terceiro trecho do VLT da Baixada Santista terá 7,5 quilômetros de extensão, ligando Barreiros (área insular) até o Samaritá (área continental), em São Vicente, e prevê quatro estações: Ponte Nova, Quarentenário, Rio Branco e terminal Samaritá, além de três subestações de energia e um pátio de manobras.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta