Doria nomeia Edson Caram para superintendência do DER (Estradas de Rodagem)

Caram em evento na gestão Bruno Covas, quando estava à frente da secretaria de Mobilidade e Transportes da capital paulista/Foto: Adamo Bazani - Arquivo

Ex-secretário de transportes municipais da capital paulista teve nome formalizado neste sábado (19)

ADAMO BAZANI

Atualmente ocupando o cargo de Secretário Executivo da Secretaria de Logística e Transporte do Estado de São Paulo, Edsom Caram assume mais um posto no governo de João Doria e passa a responder também pela Superintendência do Departamento de Estradas de Rodagem-DER.

A nomeação foi publicada neste sábado, 19 de junho de 2021, no Diário Oficial do Estado de São Paulo.

Caram já teve diferentes cargos entre prefeitura da capital paulista e Estado, mas o que o tornou mais conhecido do grande público foi quando esteve à frente da secretaria Municipal de Mobilidade Urbana da cidade de São Paulo, pasta assumida em dezembro de 2018.

Em 12 de junho de 2020, pediu demissão na mesma semana em que o prefeito Bruno Covas ameaçou dispensá-lo dizendo, em entrevista coletiva no dia 08 de junho de 2020, que iria trocar de secretário caso os ônibus na cidade de São Paulo ainda trafegassem com pessoas em pé, diante o risco da disseminação da covid-19.

A circulação dos ônibus municipais somente com passageiros sentados foi uma recomendação da SMT – Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes para evitar lotação e reduzir o risco de contágio pela Covid-19. Porém, em 19 de junho de 2020, a SPTrans – São Paulo Transporte, gerenciadora dos coletivos, confirmou que revogou a orientação.

Entre as realizações de Caram à frente da pasta dos transportes municipais de São Paulo foi a conclusão da licitação dos ônibus da cidade em setembro de 2019, processo que estava emperrado desde 2013. Foi a maior licitação de ônibus do mundo na ocasião envolvendo um universo de 14 mil ônibus, três milhões de passageiros (nove milhões de passagens) por dia e contratos em torno de R$ 70 bilhões.

Na superintendência do DER, Caram estará à frente de outras cifras bilionárias, como a coordenação do Programa Novas Estradas Vicinais, uma das bandeiras que a gestão Doria quer cravar no interior de São Paulo.

O programa conta com recursos de R$ 2,29 bilhões envolvendo 279 estradas vicinais que terão obras de melhorias num total de 3.094 km.

HISTÓRIA

Com a função de “administrar o sistema rodoviário estadual, sua integração com as rodovias municipais e federais e sua interação com os demais modos de transporte, objetivando o atendimento aos usuários no transporte de pessoas e cargas”, o DER tem origem em 30 de dezembro de 1926, quando Carlos de Campos, então presidente do Estado de São Paulo, assinou a lei 2.187 criando a Diretoria de Estradas de Rodagem, diretamente subordinada à Secretaria da Agricultura, Comércio e Obras Públicas.

Já em 2 de julho de 1934, o interventor federal no Estado de São Paulo, Armando de Salles Oliveira, assinou o decreto nº6.529, de 2 de julho de 1934 criando o Departamento de Estradas de Rodagem, subordinado diretamente ao Secretário de Estado dos Negócios da Viação e Obras Públicas. O DER foi elevado a Autarquia em 26 de dezembro de 1946 por meio do Decreto n°16.546, assinado pelo interventor federal em São Paulo, José Carlos de Macedo.

Atualmente, o DER integra a Secretaria de Logística e Transporte do Estado de São Paulo, pasta comandada por João Octaviano Machado Neto que, por sua vez, foi antecessor de Caram na secretaria de Mobilidade e Transportes da cidade de São Paulo.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta