Fundo árabe ocupa lugar da Invepar em concessão do Metrô do Rio

Situação da Invepar piorou com saída da acionista OAS após crise da Lava Jato.

Despacho do Governador saiu publicado no Diário Oficial de segunda-feira (14)

ALEXANDRE PELEGI

Alteração na concessão do Metrô carioca. Entra o fundo árabe Mubadala em lugar da Invepar.

Um despacho do governador Claúdio Castro, publicado no Diário Oficial do Estado nessa segunda-feira, 14 de junho de 2021, autorizou a alteração do controle societário da Concessionária Metroviária do Rio de Janeiro S.A. e sua acionista Investimentos e Participações em Infraestrutura S.A. – Invepar para a HMOBI Participações S.A., tendo como interveniente Mubadala Capital IAV Fundo de Investimento em Participações Multiestrategia.

A Invepar é controlada pelos fundos de pensão Previ, Petros e Funcef, além do FIP Yosemite, de credores da antiga acionista OAS.

O acordo para a mudança societária foi fechado em setembro de 2020.

Na época, a Invepar reestruturou dívidas com credores no valor de R$ 2,5 bilhões. Assinou um contrato promovendo a quitação integral do endividamento e transferindo o Metrô do Rio de Janeiro e a Linha Amarela para seus credores. O foco da Invepar passou a ser o Aeroporto de Guarulhos.

A Farallon Capital e o fundo Mubadala comandaram a operação pelo lado dos credores.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Evandro disse:

    Acredito e torço que melhore muito, inclusive conclua Estação Cruz Vermelha, tão importante para pacientes do Hospital do Câncer.

  2. luizpcarlos disse:

    GOVERNADOR DO RIO DE JANEIRO ADERIU A ESTELIONATÁRIA INVEPAR,MAIOR ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA DO RIO DE JANEIRO, AO ASSINAR A TRANSFERENCIA CRIMINOSA DA CONCESSÃO DO METRO-RIO AO FUNDO MUBADALA…

Deixe uma resposta