Santo André quer aumentar demanda do transporte coletivo em 15% por ano até 2024

Ônibus em Santo André. Cidade ainda deve ter 4 km de corredores de transporte e a Rua Fichet, continuação da Rua Itambé, nas imediações da Estação da CPTM no centro

Prefeitura apresentou nesta terça-feira (15) primeira versão do Plano de Metas 2021-2024; Rede de linhas municipais será readequada; Implantação da Estação ABC (Pirelli) e licitação do sistema de Vila Luzita estão no foco

ADAMO BAZANI/JESSICA MARQUES

A prefeitura de Santo André, no ABC Paulista, apresentou nesta terça-feira, 15 de junho de 2021, a primeira versão do Plano de Metas 2021-2014, com a relação de áreas que devem receber investimentos neste período.

Ao todo são 79 metas e 467 projetos principais de diversas áreas como mobilidade urbana (trânsito e transportes), saúde, educação, lazer, segurança urbana, zeladoria, combate às enchentes entre outras.

A administração criou um site por onde é possível fazer sugestões para a versão final.

https://www.santoandre500anos.com.br/planodemetas

Na área de transportes coletivos, a meta número 16 é de aumentar em 15% ao ano o número de usuários em relação a 2020.

O valor-base para este cálculo é de 2 milhões 491 mil 110 passageiros por mês.

Para chegar a esta meta, serão associados os seguintes projetos:

– Implantação da Estação ABC (Pirelli) da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos)

– Reestruturação da rede de transporte coletivo

– Subconcessão do sistema tronco-alimentado da Vila Luzita (travada desde 2016 e operada provisoriamente pela Suzantur)

– Requalificação dos abrigos de transporte coletivo da cidade

– Ampliação da baia de embarque e desembarque da Estação Celso Daniel

– Reconstrução das estações da Linha 10 – Turquesa (Utinga, Prefeito Saladino e Prefeito Celso Daniel)

– Articulação com o Governo do Estado para viabilização de atendimento por transporte de alta capacidade através de linhas de Metrô (o que inclui a linha 20- Rosa do Metrô entre Santo André e a região da Lapa, na capital paulista). A linha 18 não seria Metrô de alta capacidade, era previsto um monotrilho (média capacidade) substituído por corredor de ônibus elétrico BRT-ABC (média capacidade também).

Já na meta 18, a prefeitura apresenta como proposta a conclusão do Programa de Mobilidade Urbana Sustentável até 2024.

Para isso elenca os seguintes projetos associados:

– Plano de Mobilidade Urbana de Santo André

– Implantação de 4 km de corredores de transporte

– Complexo Viário e Parque Urbano Santa Terezinha

Já a meta 17, estipula que a prefeitura vai tentar captar R$ 146 milhões em recursos externos para melhoria da mobilidade urbana.

Os recursos devem ir para as seguintes intervenções:

– Implantação das Marginais do Córrego Taioca

– Implantação da Rua Fichet (continuação da Rua Itambé)

– Implantação do viaduto Giovanni Batista Pirelli x Cassaquera

O transporte coletivo aparece em outra meta que não é diretamente relacionada com a mobilidade, mas que acaba tendo influência no dia a dia de quem usa ônibus na cidade: Programa de Paridade de Gênero no transporte coletivo.

A proposta é um projeto associado à metra 59 que é “desenvolver ações de gênero em 20 programas e projetos de governo”.

Adamo Bazani e Jessica Marques, jornalistas especializados em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Adriana Silva dos Santos disse:

    Tem e que aumenta a frota da linha t15 aquela porcaria que demora um ano pra passa

  2. Marizilda Lopes Gondim disse:

    Muito Bom! Urgente aumentar a frota do I02; pq o intinerario é enorme e demora muito os intervalos entre um e outro. Quem depende só dele não consegue cumprir horário.

Deixe uma resposta para Adriana Silva dos Santos Cancelar resposta