Santo André contrata empresa por R$ 1,2 milhão para fazer estudo de solo para implantação de corredores de ônibus

Ônibus em Santo André

Contrato é de 20 meses e valor sairá de recursos do BID

ADAMO BAZANI

A prefeitura de Santo André, no ABC Paulista, publicou oficialmente nesta quinta-feira, 1º de julho de 2021, o extrato de contrato com a empresa Arquiteto Pedro Taddei e Associados Ltda.-EPP para realizar o estudo que vai verificar as condições de solo e a capacidade de suporte de infraestrutura para a implantação de corredores de ônibus na cidade.

Conforme publicação em diário oficial, o contrato é de 20 meses com o valor de R$ 1,2 milhão (R$ 1.284.039,29).

As verbas sairão do financiamento de US$ 25 milhões do BID (Bando Interamericano de Desenvolvimento) destinado ao Programa de Mobilidade Urbana Sustentável de Santo André. O programa ainda conta com outros US$ 25 milhões da prefeitura.

O programa prevê a implantação de quatro km de corredores de ônibus, número que foi incluído no Plano de Metas 2021-2024 de Santo André, como mostrou o Diário do Transporte.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/06/15/santo-andre-quer-aumentar-demanda-do-transporte-coletivo-em-15-por-ano-ate-2024/

A prefeitura abriu um procedimento de MIP (Manifestação de Interesse Público) em 2019 para elaboração do estudo de Uso do Solo e Capacidade de Suporte de Infraestrutura para Corredores de Ônibus.

Na ocasião, a gestão do prefeito Paulo Serra relacionou as linhas gerais esperadas do trabalho.

O Estudo de Uso do Solo terá como objetivo geral, subsidiar a gestão do uso e da ocupação do solo nos lotes lindeiros e próximos dos corredores e terminais/parada de ônibus de forma a melhorar a qualidade do ambiente urbano e da paisagem ao longo dos mesmos. Devendo contemplar a metodologia, onde será registrado a situação prévia e antecipado os impactos à implantação da infraestrutura modal, o plano de trabalho, o diagnóstico da situação atual com mapeamento das áreas de influência direta e diretamente afetada, a análise dos impactos socioambientais e econômicos considerando os parâmetros conjunturais, processo de elaboração dos cenários e impactos na valorização imobiliária, o plano de medidas mitigadoras de controle e compensatórias e o plano de monitoramento contínuo.

Os corredores fazem parte do Programa de Mobilidade que contempla os seguintes pontos:

  • Priorizar circulação do transporte coletivo e de modos não motorizados;
  • Melhorar o sistema viário;
  • Permitir a conexão e a continuidade dos corredores;
  • Reduzir o consumo de combustível e de emissão de gases;
  • Reduzir dos pontos de estrangulamento do tráfego nas vias centrais;
  • Melhorar a segurança do trânsito.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Marcos p disse:

    1,2 milhao para .estudo de corredor de apemas 4 km…..caro hein…n

  2. LAURINDO CORREIA disse:

    Boa tarde, os ônibus municipal da cidade de Santo André, já voltaram ao normal a partir de hoje dia 01 de julho de 2021?

    1. diariodotransporte disse:

      Não, só dia 15

  3. Edson Cavalcante disse:

    Paulinho cadê o esgoto no clube de campo vamos continuar usando fossa e contaminando o solo.

Deixe uma resposta