Ribeirão Preto (SP) divulga andamento das obras do Corredor de Ônibus Norte-Sul

Trechos 2 e 3 do corredor Norte-Sul foram iniciados em agosto de 2020 e estão com 23% das obras concluídas. Foto: Fernando Gonzaga / Divulgação.

Investimento supera R$ 78 milhões em recursos do Governo Federal e financiamento

JESSICA MARQUES

A Prefeitura de Ribeirão Preto, no interior paulista, divulgou o andamento das obras do Corredor de Ônibus Norte-Sul. Os investimentos superam R$ 78 milhões em recursos do Governo Federal e financiamento.

Dividido em quatro trechos, o corredor de ônibus vai passar pelas principais avenidas da cidade, como Independência, Meira Júnior, Cavalheiro Paschoal Innecchi, Mogiana, Thomaz Alberto Whately, Antônia Mugnatto Marincek entre outras.

Confira o andamento das obras, por trecho:

O trecho 1 do Corredor de Ônibus Norte-Sul foi iniciado em janeiro de 2021, com investimento de R$ 23.997.875,14, uma economia de 18,5% em relação ao investimento previsto inicialmente, de R$ 29.452.918,16. A obra está atualmente com 13% dos trabalhos realizados nas avenidas Thomaz Alberto Whately e Recife.

Já os trechos 2 e 3 do corredor Norte-Sul foram iniciados em agosto de 2020 e estão com 23% das obras concluídas. O investimento será de R$ 36.376.686,65, com economia de 28,32% diante do previsto inicialmente, de R$ 50.752.652,86. Este é o trecho mais longo do corredor Norte-Sul, passando pelas avenidas Independência, Meira Júnior, Cavalheiro Paschoal Innecchi e Mogiana.

O trecho 4 já possui o projeto executivo elaborado, esperando a licitação para início das obras. O valor previsto é de R$ 18.500.346,92 e a obra será realizada nas avenidas Independência, Lígia Latuf Salomão, Braz Olaia Acosta e Coronel Fernando Ferreira Leite.

DETALHES DO PROJETO

Com três frentes de trabalho simultâneas, a maior intervenção atualmente é realizada na rotatória da avenida Independência com a João Fiúsa. Neste caso, o local terá mais uma pista, passando a ter três faixas de rolagem, com os ônibus passando pelo centro da rotatória.

Já na avenida Thomaz Alberto Whately, que faz parte do trecho 1, está sendo implantada uma galeria de água pluvial, que não existia no local, além de guias e sarjetas e revitalização do passeio.

“O projeto da obra é diferenciado dos demais corredores, pois as paradas dos ônibus estarão localizadas nos canteiros centrais, a cada 500 metros, e haverá faixas de rolamento exclusivas para os ônibus, seguindo o modelo das grandes avenidas das capitais. Em toda a extensão do corredor de ônibus serão realizadas melhorias para garantir acessibilidade aos pedestres, principalmente àqueles com dificuldades de mobilidade, e sinalização eletrônica inteligente, que detecta a presença do ônibus e abre para garantir a fluidez do trânsito”, detalhou a Prefeitura, em nota.

Ainda segundo a administração municipal, as esquinas terão rampas de acesso para cadeirantes, com piso tátil direcional e de alerta, indicando os pontos de espera e de travessia. Por fim, será feito um recapeamento reforçado nas faixas preferenciais para garantir maior tempo de uso e menor risco de danos devido ao peso dos veículos, além do piso de concreto nas paradas de ônibus.

PROGRAMA RIBEIRÃO MOBILIDADE

As obras fazem parte do Programa Ribeirão Mobilidade e contemplam ainda  a implantação de ciclovias nas avenidas Recife, Thomaz Alberto Whately, Cavalheiro Paschoal Innecchi e Mogiana. Com os 3,9 quilômetros de ciclovia da avenida Antônia Mugnatto Marincek, serão cerca de oito quilômetros acompanhando o trajeto do corredor Norte-Sul.

Também serão implantados outros 4,5 quilômetros de ciclovia, saindo da avenida Cel. Fernando Ferreira Leite e seguindo pelas avenidas Luzitana e Casper Líbero até o final, segundo a Prefeitura.

O corredor de ônibus Norte-Sul faz parte de um total de 11 que estão sendo implantados em Ribeirão Preto pelo Programa Ribeirão Mobilidade, totalizando 56 quilômetros que percorrerão as principais avenidas do município.

A cidade conta com cerca de 90% das obras do Programa Ribeirão Mobilidade licitadas e em processo de licitação. São mais de 30 intervenções viárias planejadas para garantir mais acessibilidade, segurança no trânsito e qualidade de vida à população de Ribeirão Preto.

Segundo a Prefeitura, o investimento total se aproxima de R$ 500 milhões, sendo R$ 310 milhões em recursos do Governo Federal, e o restante, do Finisa (Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento) e outras agências de crédito.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta