Diário no Sul

Vereadores de Londrina (PR) criam comissão do transporte público

Objetivo é entender os motivos que levaram as recentes paralisações e greves do setor. Foto: André Aguirra Taióqui/Ônibus Brasil.

Objetivo é analisar e debater os contratos de concessão do serviço na cidade

WILLIAN MOREIRA

A Câmara Municipal de Londrina aprovou nesta terça-feira, 08 de junho de 2021, a criação de uma comissão especial dos parlamentares que vai discutir e analisar os contratos de prestação do transporte coletivo urbano.

Os parlamentares atenderam um pedido da vereadora Mara Boca Aberta, que alegou ser necessário estudar estes contratos e entender os motivos que levaram as recentes paralisações e greves do setor.

Neste ano, em janeiro e abril, paralisações dos trabalhadores do transporte aconteceram devido à falta de pagamento de direitos trabalhistas. Uma nova greve foi evitada nesta semana após intervenção da Câmara. Nestes episódios, os empresários alegaram ter as finanças seriamente afetadas pela pandemia do coronavírus, pedindo auxilio do Poder Público.

“A criação dessa comissão especial é de suma importância, para que possamos juntos verificar o que está acontecendo. Na última paralisação fomos bastante cobrados, vários vereadores fizeram pedidos de informação (PI), indicações. A vereadora Lu Oliveira (PL) solicitou em um PI os contratos firmados pela Prefeitura com as empresas, contratos esses aos quais não tivemos acesso. Não sabemos as cláusulas que estão sendo cumpridas e as que deixaram de ser. Em reunião de várias vereadoras no gabinete do prefeito [na semana passada], ele nos disse que, se fosse atender às empresas, a passagem de ônibus teria de subir para R$ 7,25. […] A comissão é importante para termos acesso à documentação, às empresas, à CMTU, às planilhas que compõem o valor das passagens”, afirmou a vereadora Mara Boca Aberta, em nota divulgada para a imprensa.

A comissão contará com cinco integrantes eleitos em outra data futura, sendo que uma das vagas é garantida a autora do requerimento, com prazo total de 180 dias para apresentar o relatório final sobre o transporte, mas com previsão de 90 dias adicionais caso for solicitado.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta