Motoristas de Fortaleza suspendem greve do transporte coletivo

Assembleia foi realizada na tarde desta quarta-feira

Decisão foi tomada nesta quarta-feira (09) em duas assembleias da categoria

ALEXANDRE PELEGI

Está suspensa a greve do transporte coletivo em Fortaleza, Ceará.

Após duas assembleias realizadas nesta quarta-feira, 9 de junho de 2021, coordenadas pelo Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado do Ceará (Sintro), os trabalhadores decidiram aguardar proposta do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus).

No facebook da entidade sindical, o Resultado Final foi assim anunciado:

Rodoviários suspendem greve até terça-feira para que o Sindiônibus apresente uma proposta que atenda às reivindicações da categoria. 
Outra assembleia já está marcada para quarta-feira, caso seja necessário retomar a greve.


Os trabalhadores reivindicam reajustes salariais de 2020 e 2021, correção de valores da cesta básica, retomada do plano de saúde anterior e a vacinação prioritária da categoria contra a Covid-19.

Além disso, o sindicato dos trabalhadores quer o fim do acúmulo de funções dos motoristas, que precisam dirigir e cobrar a tarifa dos passageiros.

Nesta quarta-feira os terminais de Parangaba e Papicu operaram normalmente.

Isso porque o movimento grevista vem atendendo à determinação do TRT (Tribunal Regional do Trabalho) em ter pelo menos 70% da frota total nas ruas, evitando maiores transtornos aos passageiros.

A decisão do Tribunal foi publicada na segunda-feira (7), assinada pelo desembargador Paulo Régis Machado Botelho, que estipulou multa diária de R$ 30 mil em caso de descumprimento.

A decisão determinou ainda que o Sintro “se abstenha de realizar qualquer bloqueio aos terminais rodoviários, garagens, praças e locais de paradas dos veículos de transporte público, de impedir o acesso dos empregados das empresas representadas pelo requerente que queiram trabalhar ao local de trabalho ou promover a interdição de vias públicas”.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta