Empresa de ônibus de Petrópolis (RJ) perde 167 viagens em uma semana, devido a obras viárias

Setranspetro pede que sejam criados corredores exclusivos e faixas seletivas para os ônibus, priorizando o transporte coletivo. Foto: Divulgação.

Atrasos devido a congestionamentos foram relatados pela Turp Transporte

JESSICA MARQUES

A Turp Transporte, que opera no transporte coletivo de Petrópolis, na Região Serrana do Rio de Janeiro, perdeu 167 viagens em uma semana, devido a obras viárias.

Em nota, a empresa ressaltou que a Estrada União e Indústria segue recebendo as obras de recuperação viária, realizadas pelo DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) desde 2020, o que interfere na operação dos ônibus.

“A melhoria nas condições da pista no extenso trecho agradou os milhares de petropolitanos que aguardavam pelo serviço. Porém, a falta de planejamento continua prejudicando os motoristas, que ficam totalmente parados no congestionamento por quase uma hora, em razão das interdições e adoção do esquema “pare e siga”. Somente na última semana, a empresa de ônibus Turp Transporte perdeu 167 viagens, e registrou uma série de atrasos na operação. Diante deste impacto, o Setranspetro orienta que os clientes da Turp baixem gratuitamente o aplicativo Cittamobi, para saber, em tempo real, o momento em que o ônibus vai chegar ao ponto”, informou o sindicato das empresas de ônibus.

Os trechos mais prejudicados nas últimas semanas, segundo o Setranspetro, ficam localizados nas imediações de Corrêas, na entrada dos bairros Bonfim, Castelo São Manoel, Águas Lindas, Vista Alegre e na via principal, a União e Indústria.

“A obra é de extrema importância e vai beneficiar a todos. Porém, entendemos que é necessário um planejamento adequado de horário para a sua execução, sem que comprometa o deslocamento da população, principalmente, em horário de pico. Hoje, por exemplo, além da obra do DNIT, enfrentamos mais uma obra, dessa vez, da concessionária de águas”, disse o gerente de operação da Turp Transporte, Márcio Silva.

O Diário do Transporte aguarda um posicionamento do DNIT sobre as obras.

LINHAS PREJUDICADAS

De acordo com dados disponíveis para consulta, emitidos pelo Sistema de Monitoramento via GPS nos ônibus, entre os dias 03 e 09 de maio, a Turp Transporte teria que cumprir 4.870 viagens nas linhas que utilizam os trechos em que está sendo realizada a obra. Porém, devido às retenções da pista, foi possível cumprir apenas 96,57%, equivalente a 4.703 viagens programadas. Esse número representa a perda de 167 viagens completas.

“Infelizmente, qualquer motorista que precise utilizar essa via, está enfrentando o problema da falta de mobilidade urbana na região, há meses. Os atrasos e perdas de viagens não são culpa das empresas de ônibus, visto que não há via alternativa para dar continuidade à operação. Geralmente, quando os ônibus chegam aos terminais, forma uma espécie de ‘comboio’, pois estavam juntos presos no trânsito”, disse Márcio Silva.

Entre as linhas mais prejudicadas na última semana, estão a 700 – Terminal Itaipava, que apresentou 46 viagens perdidas, seguida pelas linhas 606 – Alcides Carneiro, que apresentou 28 viagens perdidas; 711 – Posse, que deixou de realizar 20 viagens; 750 – Terminal Itaipava x Terminal Corrêas, que não conseguiu cumprir 19 viagens e 600 – Terminal Corrêas, que não realizou 13 viagens, por causa dos congestionamentos.

Ainda ao longo da semana, as demais linhas afetadas com inúmeras perdas de viagens foram a 604 – Vila Epitácio, 607 – Caetitu, 609 – Castelo São Manoel, 610 – Araras, 612 – Vista Alegre, 613 – Bairro da Glória e 618 – Santa Luzia que, juntas, totalizam a perda de 41 viagens, prejudicando os passageiros que utilizam os ônibus.

“O Setranspetro destaca, há muito tempo, que a falta de mobilidade urbana é um dos principais fatores que dificultam a operação dos ônibus no município, principalmente, em linhas que possuem trajetos extensos, resultando em excesso de pessoas nos pontos de ônibus e atrasos. Dessa forma, para dar mais agilidade ao atendimento, é importante que sejam criados corredores exclusivos e faixas seletivas para os ônibus, priorizando o transporte coletivo, em detrimento do individual”, disse a gerente do Setranspetro, Carla Rivetti.

APLICATIVOS

O Setranspetro orienta ainda que os passageiros baixem gratuitamente os aplicativos “Vá de Ônibus” ou o “CittaMobi” (exclusivo aos clientes da Turb Petrópolis), disponíveis nas versões Android e iOS.

Nestas ferramentas, o cliente pode ter acesso às principais informações sobre as linhas de ônibus da empresa, localização do veículo em tempo real, previsão de chegada ao ponto em que a pessoa está e a duração aproximada do trajeto.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta