Diário no Sul

Canoas (RS) compra 135 mil passagens de ônibus para acertar salários de trabalhadores da Sogal

Empresa Sogal é do mesmo grupo da Vicasa. Prefeitura quer separação dos custos operacionais. Foto: Diego Lip / Ônibus Brasil

Prefeitura investiu R$ 600 mil na ação, mas condicionou que dinheiro não seja repassado à empresa Vicasa, do mesmo grupo da Sogal

ALEXANDRE PELEGI

A prefeitura de Canoas, no Rio Grande do Sul, decidiu comprar 135 mil passagens de ônibus do transporte urbano para garantir o salário dos trabalhadores da Sogal.

A compra, no valor de R$ 600 mil, foi decidida pelo prefeito Jairo Jorge em audiência virtual com a juíza do Tribunal Regional do Trabalho, Ana Luiza Heineck Kruse, a Secretaria Municipal de Transportes e Mobilidade, e o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes de Canoas, realizada nessa quinta-feira, 06 de maio de 2021.

As passagens serão utilizadas pelos beneficiários do Auxílio Emergencial Canoense.

De acordo com o prefeito, a condição para o repasse dos valores é que o sindicato dos trabalhadores não interrompa os serviços. “Não podemos permitir que os canoenses, usuários do transporte coletivo, sofram com os problemas de gestão da Sogal. Esse é mais um movimento da prefeitura para garantir a normalidade do transporte em nossa cidade”, declarou o Jairo Jorge.

Outra condição imposta na negociação é de que os recursos da compra não sejam repassados para a Vicasa, empresa de ônibus do mesmo grupo famnliar, uma vez que o objetivo do Município é garantir que os funcionários recebam os salários em dia.

A proposta da prefeitura visa manter o transporte em funcionamento na cidade e evitar novas greves.

Ao final, ficou acertado que a empresa deverá retomar os seletivos e as linhas rápidas, além de regularizar os pagamentos.

A prefeitura apresentou também um relatório completo para a juíza Ana Luiza Heineck com questionamentos em relação ao cálculo tarifário apresentado pela Sogal e um levantamento da gratuidade no transporte coletivo.

O secretário de Transportes e Mobilidade, Francisco Nunes, disse que espera resultados positivos após a reunião virtual. “Na audiência de hoje, fizemos apontamentos de problemas que não podem acontecer, como o compartilhamento de peças e diesel e insumos entre Sogal e Vicasa”, detalhou.

A Sogal e a Vicasa, como são do mesmo grupo, seus ônibus utilizam a mesma garagem em Canoas. A Sogal opera no transporte municipal e a Vicasa no intermunicipal. A prefeitura exige que haja uma separação entre os custos operacionais das duas empresas, o que até agora não havia ocorrido.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta