SPTrans abre prazo para empresas do sistema de transporte apresentarem cronograma de instalação da tecnologia embarcada

Foto: Diário do Transporte

Edital que orientou licitação do sistema prevê que todos os ônibus deverão portar uma Unidade Central de Processamento

ALEXANDRE PELEGI

A SPTrans comunicou as empresas operadoras do Sistema de Transporte Coletivo da capital nesta quarta-feira, 05 de maio de 2021, prazo para instalação da Unidade Central de Processamento (UCP) e equipamentos de tecnologia periféricos.

Depois de certificar quais serão os fornecedores da tecnologia embarcada, de quem as empresas de ônibus poderão adquirir os equipamentos, a gerenciadora do transporte da capital informa as concessionárias por circular que deverão apresentar no prazo de dez dias o cronograma de instalação, especificação e certificação da UCP referente ao contrato de concessão.

O ofício dia ainda que o prazo para a conclusão das instalações dos veículos novos que tenham ingressados no Sistema a partir de 06 de setembro de 2019 ocorrerá até o dia 30 de julho de 2021, “data a partir da qual não serão admitidas inclusões sem os referidos equipamentos”.

Já para os demais veículos cadastrados no sistema fica definido o prazo de 30 de setembro de 2021 para a regularização das instalações.

INOVAÇÃO

Após uma série de medidas judiciais, a Prefeitura de São Paulo finalmente anunciou em setembro de 2019 a assinatura dos contratos com as empresas de ônibus do transporte coletivo da capital.

Um dos principais destaques dos novos contratos, que têm validade por 15 anos, está justamente no termo “inovação”, concretizado nas ações e investimentos de tecnologia que as empresas terão de realizar.

No entanto, até hoje esse processo não havia começado integralmente. A prefeitura havia anunciado apenas a instalação de Wi-Fi em metade da frota dos ônibus. Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2020/10/16/covas-confirma-wi-fi-em-metade-da-frota-de-onibus-da-capital/

O edital de concessão em vigência determina a adoção não só de Wi-Fi, como de outras tecnologias nos ônibus do sistema de transporte coletivo da capital paulista. O documento prevê, especialmente na primeira fase de adoção, a instalação de um computador de bordo, cuja missão é capturar dados sobre o serviço ofertado pelas concessionárias, e uma tela de apoio à condução do motorista, com vistas a implantar processos de melhoria da qualidade de indicadores do transporte. É o que se chama de Unidade Central de Processamento (UCP).

A SPTrans é responsável por certificar os fornecedores de tecnologia dos sistemas embarcados e do sistema central.

A partir dessa certificação, as empresas de ônibus do sistema de transporte da capital passarão a adquirir os equipamentos para captura de dados para gestão. Haverá ainda, segundo o edital, um Fundo formado por todas as empresas para contratar um sistema central de gestão operacional. Caberá a este Fundo a aquisição do software de controle do sistema operacional, o que permitirá acesso a informações vitais para o planejamento no dia a dia.

O processo de certificação das fornecedoras de equipamentos de tecnologia embarcada foi concluído há poucos dias, e as seguintes empresas estão habilitadas:

NOXXON SAT TELECOMUNICAÇÕES LTDA

ETRABRAS MOBILIDADE E ENERGIA LTDA

HARMAN DO BRASIL INDUSTRIAL ELETRONICA E PARTICIPAÇÕES LTDA

SONDA MOBILITY LTDA

PRODATA MOBILITY BRASIL S/A


MELHORES RESULTADOS

Com inovação as empresas de ônibus do sistema da capital podem gerir melhor seus serviços, e em decorrência disso podem também melhorar a imagem do Transporte Público para o cliente do setor.

Mas e quanto aos usuários do sistema, os ‘clientes’ do transporte público, o que eles ganham com isso?

Segundo o Edital, os objetivos centrais dos sistemas devem:

Oferecer um transporte público e coletivo de qualidade aos cidadãos, competitivo frente a outros tipos de transporte, por sua pontualidade, regularidade, segurança e velocidade;

Manter um transporte público e coletivo eficiente, frente aos custos operacionais incorridos, as receitas geradas e subsídios recebidos. (Anexo VII – pg 64 – Item 7)

Em outro ponto do documento, está escrito:

Deverão ser previstas ferramentas próprias que entreguem informações de interesse dos passageiros. Essas ferramentas irão compor um canal oficial de comunicação com os cidadãos quanto à mobilidade urbana (…). (Anexo VII – pg 126 – Item 7.2.5.1)

Entende-se por aí que caberá à tecnologia contribuir para que o sistema de ônibus possa se tornar ‘competitivo’, e neste ponto são citados itens importantes que hoje estão justamente dentre aqueles mais criticados pelos próprios usuários: pontualidade, regularidade e velocidade.

A comunicação com o usuário é outro ponto citado no Edital, mas é algo que é sempre apontado como essencial pela gerenciadora, e que sempre ficou a desejar.

O novo sistema central (alimentado pelo computador de bordo) prevê os controles de indicadores previstos para aplicação da fórmula de remuneração definitiva para as empresas, que têm operado até aqui com uma remuneração de transição.

Além disso, este novo sistema prevê desconto no valor a ser repassado para as empresas concessionárias caso estas não cumpram as viagens estipuladas pela SPTrans dentro de critérios mensuráveis de qualidade (como pontualidade e reclamação de usuários).

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Marcos Borges disse:

    Uma coisa bem simples que devia ser instalada em TODOS OS ÔNIBUS (E SÓ TEM NOS ARTICULADOS, E NO.CASO NOS ARTICULADOS NOVOS,OS MAIS VELHOS NÃO TEM) que é tipo um monitor que filma as portas do ônibus e ali o motorista pode acompanhar o embarque e desembarque de passageiros.Ja resolvia bem o problema de passageiros desembarcarem,o motorista não ver,achar que todos que tinham pra desembarcar desembarcaram, aí ele sai com o ônibus e então ou prensa o passageiro na porta(pois ele vai e não confere direito e vai fechando a porta) ou então ele sai com o veículo com o passageiro descendo ainda e aí alguém grita “Vai desceeeeeeeeer!”.E tem vezes que a pessoa cai na calçada pois o ônibus estava em movimento, aí já viu né?Então se todos os ônibus fossem instalados monitores com câmeras filmando essa situação iria melhorar um pouco. Falei tudo que falei com conhecimento de causa, pois essas cenas da porta pensando prensando e do passageiro descendo e caindo na calçada e. gritando “Vai descer “já vi muitas vezes. E já peguei muitas vezes os poucos veículos que tem o monitor que eu falei, e vi esses incidentes praticamente não acontecer.

Deixe uma resposta