Empresa de células de combustível dos grupos Daimler e Volvo começa produção em 2025

Objetivo é construir uma das maiores unidades de produção em série de sistemas de células de combustível da Europa. Foto: Divulgação.

Companhias formaram a joint venture chamada ‘cellcentric GmbH & Co. KG’

JESSICA MARQUES

O Grupo Daimler e o Grupo Volvo divulgaram nesta sexta-feira, 30 de abril de 2021, que definiram oficialmente o plano de ação pioneiro para a nova joint venture de células de combustível, a chamada “cellcentric GmbH & Co. KG”. O início da produção está previsto para 2025.

A empresa foi criada a partir da junção dos dois grupos no projeto, como parte de um compromisso do setor para acelerar o uso de células de combustível baseadas em hidrogênio para veículos pesados de longa distância e outras aplicações.

Em nota, as fabricantes informaram que a “cellcentric” tem como plano construir uma das maiores unidades de produção em série de sistemas de células de combustível da Europa.

Além disso, com o objetivo de agilizar o lançamento das células de combustível baseadas em hidrogênio, as duas acionistas da joint venture pedem por uma estrutura de políticas de hidrogênio harmonizadas na União Europeia em apoio à tecnologia, para que se torne uma solução comercial viável.

O lançamento virtual da empresa foi realizado nesta quinta (29) conduzido por Martin Daum, CEO da Daimler Truck AG e membro do Conselho de Administração da Daimler AG, e Martin Lundstedt, presidente e CEO do Grupo Volvo.

“Projetada para ajudar a cumprir as metas de 2050 para um transporte sustentável e uma Europa neutra de emissões de carbono, como parte do Acordo Verde Europeu, a ‘cellcentric’ desenvolverá, produzirá e comercializará sistemas de células de combustível para veículos pesados de longa distância e outras aplicações. A joint venture poderá se beneficiar com décadas de expertise e trabalho de desenvolvimento do Grupo Daimler e do Grupo Volvo”, informaram os grupos, em nota.

POSTOS DE ABASTECIMENTO

Ainda de acordo com o Grupo Daimler e com o Grupo Volvo, caminhões elétricos movidos a bateria e caminhões movidos por células de combustível baseadas em hidrogênio se complementarão dependendo do caso individual de uso requerido pelos clientes. A energia obtida por meio de baterias será mais utilizada para cargas mais leves e para distâncias mais curtas, enquanto a energia das células de combustível tende a ser a opção preferida para cargas mais pesadas e distâncias mais longas.

“Os principais fabricantes de caminhões na Europa, também apoiados pelo Grupo Daimler e pelo Grupo Volvo, estão, portanto, pedindo a instalação de cerca de 300 postos de abastecimento de hidrogênio de alto desempenho adequados para veículos pesados até 2025 e de cerca de 1.000 postos de abastecimento de hidrogênio no máximo até 2030 na Europa.

Esta iniciativa conjunta, usando o hidrogênio como um meio de ‘eletricidade verde’ para abastecer os caminhões elétricos em operações de longa distância, é uma parte importante da descarbonização do transporte rodoviário. Como os caminhões neutros em CO2 são, atualmente, significativamente mais caros do que os veículos convencionais, uma estrutura de política é necessária para garantir a demanda e a acessibilidade”, informaram os grupos, em nota.

De acordo com o Grupo Daimler e com o Grupo Volvo, isso deve incluir incentivos para tecnologias neutras de CO2 e um sistema de tributação baseado no conteúdo de carbono e energia. Um sistema de comércio de emissões pode ser uma opção adicional.

PARCERIA

Em 1º de março de 2021, o Grupo Daimler e o Grupo Volvo formaram a “cellcentric”. Para tanto, o Grupo Volvo adquiriu 50% das participações da parceria na empresa Daimler Truck Fuel Cell GmbH & Co. KG por cerca de 0,6 bilhões de euros à vista e livre de dívidas.

Em novembro de 2020, o Grupo Daimler e o Grupo Volvo assinaram um acordo vinculativo de constituição da joint venture. Um acordo preliminar não vinculativo já havia sido assinado em abril do mesmo ano.

Mais de 300 profissionais altamente especializados trabalham para células centradas em equipes interdisciplinares em Nabern, Stuttgart (Alemanha) e Burnaby (Canadá).

Cerca de 700 patentes individuais foram emitidas até o momento, destacando o papel de liderança desempenhado pela empresa no que diz respeito ao desenvolvimento tecnológico.

Relembre:

Daimler e Volvo concluem processo de criação de joint venture de células de combustível

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta