São José dos Campos marca licitação de transportes para maio e promete maior oferta de viagens

Ônibus em São José dos Campos

Editais de tecnologia terão audiências públicas para uma concessão à parte

ADAMO BAZANI

A prefeitura de São José dos Campos, no interior de São Paulo, marcou para o dia 06 de maio de 2021, o início da abertura dos envelopes para habilitação na concorrência da operação do novo sistema de transportes coletivos que quer implantar no município.

Os envelopes com a documentação e com as propostas devem ser entregues e protocolizados até às 10h de 06 de maio de 2021.

Como mostrou o Diário do Transporte, haverá concessões diferentes relacionadas ao transporte coletivo, conforme modelo proposto pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) uma da operação em si dos ônibus, linhas e equipamentos, outra da concessão da gestão financeira e uma relacionada à tecnologia.

A primeira concorrência será a da operação, cujo edital já foi publicado.

A prefeitura deve iniciar no próximo dia 22 de abril uma série de audiências públicas para apresentar as propostas dos editais de tecnologia do novo modelo de transporte público. Os encontros irão começar sempre às 18h e percorrer todas as regiões da cidade nos dias 22, 23, 26, 27, 28 e 29 de abril.

A justificativa do poder público para separar as licitações é escolher melhor empresas especializadas em cada área de atuação.

“O futuro modelo de concessão é inovador ao separar a operação, tecnologia e o financeiro. O objetivo com essa divisão é ter empresas especializadas em cada uma das áreas e elevar a qualidade e modernização do serviço”. – diz nota da prefeitura.

Sobre a operação, em 06 de abril de 2021, o Diário do Transporte noticiou que o sistema será dividido em dois lotes operacionais, incluindo os ônibus elétricos em corredores, os quais a prefeitura chamou de VLP (Veículos Leves sobre Pneus).

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/04/06/sao-jose-dos-campos-sp-publica-concorrencia-para-separar-gestao-financeira-da-operacao-em-novo-sistema-de-transportes-coletivos/

Em nota, nesta quinta-feira, 15 de abril de 2021, a prefeitura confirmou que o sistema terá 557 veículos distribuídos em cinco modelos: vans, micro-ônibus, padron e super articulado (23 metros), além dos VLP’s (Veículo Leve sobre Pneus), sendo que a maioria, 389 veículos, será do tipo convencional.

AUMENTO DE OFERTA DE VIAGENS:

A prefeitura prometeu que a quantidade de linhas vai aumentar dos atuais 101 trajetos para 112.

Com isso, ainda de acordo com nota da administração, a oferta de viagens vai crescer 43%, passando das atuais 6.798 para 9.892 viagens.

Estas mudanças deve proporcionar que 40% do total de usuários do transporte público esperem, no máximo 20 minutos, para embarcar em uma linha. Atualmente, segundo a prefeitura, 20% dos usuários embarcam em até 20 minutos.

LINHAS FLEXÍVEIS:

Outra promessa da prefeitura de São José dos Campos com a licitação é criar linhas com flexibilização parcial dos itinerários e das partidas.

“Esse modelo de transporte sob demanda é novo no país e surge para competir com o transporte individual. Na prática, os usuários poderão por meio de aplicativo, assim como acontece atualmente com as empresas de transporte individual, solicitar uma viagem que terá tarifa fixa integrada ou variável.”. – disse a administração municipal em nota.

FONTES DE RECURSOS ALÉM DAS TARIFAS:

A prefeitura de São José dos Campos também informou que o custeio do sistema terá outras fontes de recursos além das próprias tarifas, como a Zona Azul, o que deve baratear o valor para o passageiro.

“Ações como a separação dos serviços de operação e tecnologia e investimentos vindos de outras fontes de recursos – como a aplicação de R$ 9,2 milhões arrecadados com a concessão da zona azul – ajudam a amenizar o valor da tarifa cobrada do cidadão, permitindo a entrega de um serviço com mais frequência de ônibus, maior conforto para os passageiros com um valor mais baixo de tarifa.”

MENOR TARIFA TÉCNICA

Vai ser considerada vencedora da concorrência a proposta com a menor tarifa técnica.

O modelo até então praticado é o de outorga ao município.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta