Metrô SP homologa contratação de mais um consórcio para investigação geotécnica do projeto básico da Linha 19 Celeste (Guarulhos/São Paulo)

Imagem ilustrativa

Este é o quinto contrato assinado pela Companhia para a realização desses serviços, essenciais para o projeto da obra metroviária. Contratos somam quase R$ 40 milhões

ALEXANDRE PELEGI

O Metrô – Companhia do Metropolitano de São Paulo publicou neste sábado, 10 de abril de 2021, a homologação de licitação, adjudicação e extrato de contratos de mais um contrato referente a serviços de engenharia para execução de investigações geotécnicas da Linha 19-Celeste.

Este é o quinto contrato assinado pela Companhia para a realização desses serviços, essenciais para subsidiar a realização do projeto básico da futura linha metroviária.

De acordo com a publicação deste sábado, o Metrô de SP homologou a contratação do Consórcio ESA, para execução de investigações geotécnicas e sondagens que subsidiarão o desenvolvimento do projeto básico do trecho entre a Região da Rua Mendes Caldeira e as proximidades da Rua Curuçá da Linha 19 Celeste.

Este contrato, assinado nessa sexta-feira, 09 de abril de 2021, tem o valor de R$ 8,1 milhão (Base: 01/09/19), e prazo de 24 meses.

O Consórcio ESA é formado pelas empresas EPT Engenharia e Pesquisas Geológicas S/A, AS Geotecnia Meio Ambiente e Poços Artesianos Ltda, e Sondarello Engenharia Ltda.

Como mostrou o Diário do Transporte na quinta-feira dessa semana, dia 08 de abril, o Metrô divulgou a assinatura de outros quatro contratos com dois Consórcios:

Consórcio FG-MORETTI (2 contratos) / Composto pelas empresas FG Fundações e Geotecnia Ltda e Moretti Engenharia Consultiva Ltda.

Consórcio ALPHAGEOS-EGIS (2 contratos) / Composto pelas empresas Alphageos Tecnologia Aplicada S/A e EGIS – Engenharia e Consultoria Ltda.

Todos os cinco trabalhos contratados, de acordo com o Edital, compreendem a execução da campanha de Investigações Geotécnicas e Sondagens, incluindo a execução de ensaios geotécnicos de campo e laboratório, necessária para subsidiar o desenvolvimento do Projeto Básico, no trecho entre a região do Viaduto Júlio de Mesquita Filho em São Paulo e as proximidades do cruzamento da Rua Claudino Barbosa com a Avenida Tiradentes em Guarulhos da Linha 19 – Celeste.

Ainda de acordo com o Edital, os serviços que serão realizados visam identificar e classificar os diversos estratos geológicos e obter informações do comportamento geotécnico desses materiais e incluem:

sondagens de simples reconhecimento;

sondagens a trado [uma de suas principais funções é a sondagem do solo];

sondagens rotativas e mistas [métodos de investigação geológico-geotécnica direta que consistem em perfurações realizadas no terreno para a determinação das espessuras, estruturas, das profundidades e também dos índices de resistência das camadas de solos e rochas de interesse, além da determinação do lençol freático]

piezômetros ou indicadores de nível d’água;

ensaios de campo e laboratório para caracterização geotécnica.

O prazo de vigência dos Contratos é de 24 meses, a contar da data da assinatura.

Já os serviços têm prazo de execução de 19 meses, contados a partir da emissão da primeira Ordem de Serviço (OS), dos quais 13 meses para a execução das investigações e sondagens e entrega de toda documentação técnica das necessidades do projeto, o que representa 90% dos serviços contratados e 06 meses para serviços decorrentes dos ajustes de Projeto Básico, caso necessário, representando os 10% restantes dos serviços.

No total, os cinco contratos somam aproximadamente R$ 39,54 milhões.

Os preços contemplam toda mão-de-obra, materiais, transportes, equipamentos, acessórios, tributos, encargos de natureza previdenciária, fiscal e trabalhista, incluindo benefícios sociais e os demais custos inerentes ao objeto contratual.

As investigações geotécnicas e sondagens são usadas para o reconhecimento dos perfis dos solos e suas respectivas características geotécnicas. Elas permitem identificar as características geométricas e estruturais, além de fornecer parâmetros para projetos e análises, e minimizam os riscos e custos.

Sem essa etapa em um projeto de importância como o de uma linha metroviária, as obras podem sofrer atrasos ou inadequações, o que resulta em aumento de custos, problemas ambientais, rupturas e até mesmo patologias estruturais.

LICITAÇÃO PROJETO BÁSICO DA LINHA 19-CELESTE

A Licitação para elaboração do projeto básico da Linha 19-Celeste, entre as estações Bosque Maia e Anhangabaú, será realizado dia 13 de abril de 2021.

Esta foi a terceira data da sessão pública já marcada para este ano de 2021.

O certame, anteriormente marcado para o dia 03 de março, foi adiado para 18 de março de 2021, e depois novamente remarcado para 05 de abril. Com novo aviso, o certame será agora realizado dia 13 de abril próximo.

O trecho Bosque Maia (Guarulhos) – Anhangabaú deve ter 15 estações em 19,4 km, de acordo com o Projeto Funcional.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta