Eletromobilidade

Empresa israelense conclui teste fase de teste de sistema de carregamento de ônibus elétrico embutido na pista e sem fio

Energia vem da pista

Quando o ônibus para em terminais e pontos, a bateria é carregada por campo magnético entre bobinas no solo e unidade receptora no veículo

ADAMO BAZANI

A empresa israelense ElectReon informou que na última semana conclui uma das fases do teste de um sistema de carregamento rápido de baterias para ônibus elétricos que dispensa contato com fiação aérea ou conexão em estações de energia no modelo plug-in.

As análises começaram em um pequeno trajeto de 700 metros em Telavive de uma rota total de dois quilômetros entre a Estação Ferroviária da Universidade de Telavive o Terminal Klatzkin em Ramat Aviv.

O sistema consiste em um conjunto de bobinas de cobre que é colocado sob o asfalto para transferir energia da rede elétrica para a via e para gerenciar a comunicação com os veículos que se aproximam.

“Os receptores são instalados no piso dos veículos para transmitir a energia diretamente ao motor e à bateria enquanto os veículos estão em movimento. A comunicação com todas as unidades de gestão e todos os veículos cadastrados é via tecnologia de nuvem” – explica nota da empresa.

A estação de carregamento sem fio estática foi instalada no terminal de ônibus da Universidade de Tel Aviv.

A ElectReon informou à imprensa local que conclui a fase do teste referente ao funcionamento e desempenho das bobinas com resultados positivos.

Instalação do sistema em Telavive (arquivo)

Além de requerer infraestrutura menor de recarga, outra vantagem do modelo, segundo a empresa, é a possibilidade de os ônibus usarem baterias menores, já que serão recarregados várias vezes ao dia de forma rápida, não necessitando armazenar muita energia.

Isso deixa os ônibus mais leves e amplia o espaço da área de passageiros.

Os testes continuam agora para analisar diferentes cargas e frequência operacional.

O objetivo da companhia de tecnologia é, nas últimas fases das análises, operar um serviço regular para os alunos da Universidade de Telavive.

A empresa ElectReon também instalou na Suécia um trecho elétrico de 1,6 km usado por um ônibus e um caminhão na rota de 4,1 km entre o aeroporto e o centro da cidade de Visby na Ilha de Gotland.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. carlos souza disse:

    Eles fazem jus ao ditado:”o inferno são os outros”.Vacinando mais rápido contra o vírus do apocalipse,dando um banho em mobilidade sustentável,etc…O brabo é que o país é alvo da demofobia e do terrorismo.

  2. Fabio Almeida disse:

    Se aqui no Brasil os furtos de cabos da malha ferroviária são recorrentes, imagine então com as bobinas de cobre, caso queiram implantar essa tecnologia por aqui…

Deixe uma resposta