Mais de 80 trabalhadores em ônibus da capital paulista morreram de covid-19, diz sindicato

Ônibus em São Paulo

De acordo com a entidade, há 433 casos confirmados e 1401 suspeitos

ADAMO BAZANI

Ao menos 82 profissionais dos transportes da cidade de São Paulo morreram de covid-19, incluindo funções como motoristas, cobradores, fiscais de ônibus, entre outros.

Os dados foram divulgados pelo SindMotoristas nesta quarta-feira, 24 de março de 2021, entidade que representa a categoria, e se referem ao acumulado desde o início da pandemia.

Ainda de acordo com levantamento da secretaria da Saúde do sindicato, foram 433 casos confirmados e 1401 são suspeitos.

Os dados podem estar subnotificados porque há dificuldades de informações nas empresas de ônibus e SPTrans (São Paulo Transporte), que gerencia o sistema, segundo o sindicato.

Nesta quarta-feira (24), a categoria realiza uma paralisação dos terminais de ônibus da cidade de São Paulo e uma das reivindicações é a inclusão dos trabalhadores em um cronograma de vacinação.

Segundo o boletim sindical, a maior parte dos casos e mortes estão na zona Leste, onde há grandes garagens.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Nelson disse:

    Mas porque o sindicato acha que funcionários das empresas de ônibus são imunes ao covid-19? Em todas as categorias de profissionais morreram pessoas de covid-19. Porque uma fabrica com 1000 funcionários não são prioritários? Nesse caso deveia ser. No caso dos ônibus não pode se dizer que todos pegaram covid trabalhando, prova disso foi um micro ônibus que parou enfrente uma balada na AV Atlântica e desceram o motorista e mais umas 5 mulheres e o ônibus ficou até 06:00 horas da manhã no mesmo lugar. Todos os trabalhadores estão aflitos por causa da vacina e não só esse ou aquele que precisa tomar.

Deixe uma resposta