Campanha por vacinação de motoristas recebe adesão de todas as empresas da capital São Paulo

Por ser serviço essencial, o transporte coletivo não pode parar de trabalhar

Há centenas de casos de mortes e internações de motoristas na cidade. Além disso, profissionais com mais de 60 anos e problemas anteriores de saúde que os colocam em um grupo de risco para a Covid-19 estão afastados do trabalho. Assim, 12% da frota de ônibus de São Paulo está fora de operação por falta de profissionais, segundo acordo assinado entre as empresas, a prefeitura e o Sindicato dos Motoristas.

As empresas acreditam que a única solução para que o transporte volte a funcionar com frota completa, além de garantir a segurança dos profissionais, é com a vacinação.

A iniciativa surgiu com funcionários do subsistema local, as antigas cooperativas, e logo ganhou a adesão das empresas.

Nesta sexta-feira (19), Transwolff, Transcap e A2, que operam na zona sul, e a Norte Buss, da zona norte, todas do subsistema local, começaram a distribuir adesivos para os funcionários e a espalhar faixas nos terminais. Até o início da próxima semana, a expectativa é que todos os motoristas e outros profissionais do sistema estejam exibindo a campanha em seus uniformes e todos os terminais contem com faixas.

O próximo passo, segundo as empresas, é levar a campanha para todo o Brasil.

“Vamos conversar com empresas e cooperativas de outros Estados. Queremos procurar o Ministério da Saúde também. Motoristas são linha de frente, assim como profissionais da saúde, da segurança e da educação. Não só motoristas de ônibus, mas motoristas de caminhão e de táxi também”, disse Nivaldo Azevedo, diretor da Transwolff e um dos organizadores da campanha.

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Roberto Luz Gomes disse:

    Apoiado ❗😀👍🏻
    Estamos juntos nessa batalha

  2. JOSÉ LUIZ VILLAR COEDO disse:

    VACINEM TODOS JÁ!

Deixe uma resposta