Diário no Sul

Parceria entre Ouro e Prata, Marcopolo e startup Soha cria sistema que detecta utilização do cinto de segurança pelo passageiro dos ônibus rodoviários

Dados da ANTT mostram que apenas 2% dos passageiros utilizam o cinto em viagens de ônibus. Foto: Viação Ouro e Prata / Divulgação

“Saving” alerta não apenas o operador como o passageiro para o uso do cinto, como fornece, a cada instante da viagem, a situação e localização geográfica do veículo

ALEXANDRE PELEGI

Já é sabido por todos que o uso do cinto de segurança nos veículos é um item obrigatório, responsável por salvar inúmeras vidas.

No entanto, o hábito de usar esse equipamento nos ônibus rodoviários não está arraigado, e dificilmente as pessoas o utilizam, mesmo com a orientação do motorista. Dados da Agência Nacional dos Transportes Terrestres (ANTT) mostram que apenas 2% dos passageiros utilizam o cinto em viagens.

Ao contrário do que se imagina, usar o cinto de segurança nessas condições reduz em 75% o risco de morte em caso de acidente e em 40% o risco de fraturas graves.

Investir em segurança nas viagens inclui necessariamente garantir o uso desse equipamento.

Foi com esse objetivo, dentre outros, que a Viação Ouro e Prata, em parceria com a startup Soha (incubada no Tecnopuc, no Rio Grande do Sul), investiu no desenvolvimento de uma solução que auxilie no controle da ocupação e uso do cinto de segurança em tempo real, com o objetivo de minimizar os riscos de acidentes fatais, obter métricas de viagens e facilitar o controle.

A ferramenta chamada Saving, desenvolvida pela startup Soha, pode ser aplicada em transporte de passageiros (ônibus, micro-ônibus e vans) e transporte de carga (caminhões).

No caso da Viação Ouro e Prata, o Saving permitirá ao operador do ônibus acompanhar em tempo real o uso do cinto de segurança em todos os momentos da viagem: ele saberá a situação de cada passageiro, sua localização e ocupação, se está ou não usando o equipamento naquele momento. Além disso, essa ferramenta fornecerá informações estatísticas e relatórios gerenciais ao operador.

Isso porque todas as informações colhidas pelo Saving são armazenadas em uma caixa preta, e enviadas em tempo real para o transportador, que através de um dashboard permite a ele acompanhar a operação do seu veículo.

Na operação, o Saving alerta o passageiro, de forma visual ou sonora, caso ele não tenha afivelado o cinto de segurança da forma correta. A ferramenta detecta até se o passageiro está sentado por cima do cinto de segurança.

Já para o motorista é projetado em um painel a planta do ônibus destacando as poltronas ocupadas com e sem cinto de segurança. Ele poderá verificar, na tela de um celular, qual o percentual de passageiros que estão viajando sem cinto de segurança no ônibus que ele estiver dirigindo. Ele pode ver na tela do celular, em um painel, a planta do ônibus destacando as poltronas ocupadas com e sem cinto de segurança.

Em resumo, o Saving alerta não apenas o operador e o motorista, como também o passageiro, para o uso do cinto de segurança, como também fornece a cada momento a situação e localização geográfica do veículo.

Como fase de teste, o sistema está instalado em dois locais: em um ônibus da Viação Ouro e Prata, em Porto Alegre, e um micro-ônibus Volare da Marcopolo, em Caxias do Sul (RS).

O Saving está em processo de homologação na Marcopolo SA com objetivo de ser um opcional dos ônibus. Essa iniciativa está sendo apoiada pela Marcopolo Next, braço de inovação da empresa.

Há um sinal sonoro que chama a atenção para o uso do cinto, mas é um dos itens opcionais do equipamento. A opção é porque ao mesmo tempo que alguns passageiros não querem que fique um apito dentro do ônibus, outros acham bom um lembrete bem claro para que as pessoas viajem seguras.

O diretor de operações da Ouro e Prata, Calor Bernaud, acredita muito na ferramenta: “Internamente queremos fazer campanhas com o motorista para valorizar os que tiveram nas suas viagens mais uso do cinto pelos passageiros”.

Como o operador terá relatórios gerenciais para cada viagem, a ideia da Ouro e Prata é criar um ranking que destacará o aumento do uso do cinto nas viagens pelos veículos da empresa. Com esse material, a empresa poderá acompanhar a taxa de adesão e orientar o treinamento de seus colaboradores, como definir campanhas de estímulo direcionadas aos passageiros.

 

Veja como funciona o sistema no vídeo:

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa tarde.

    Esse sistema eu dei a ideia aqui no DT há um tempão.

    Façam a busca e vejam.

    Parabéns!, mas podem me pagar uns royaltie$ que eu aceito de bom agrado.

    Só que o meu sistema não libera a partida se tiver um passageiro sem sinto,

    Att,

    Paulo Gil
    “Buzão e Emoção é a Paixão”

  2. Paulo Gil disse:

    Vejam abaixo quando eu dei a ideia

    https://diariodotransporte.com.br/2013/04/22/cinto-de-seguranca-nos-onibus-e-mais-util-do-que-se-imaginava-diz-estudo/

    Paulo Gil disse:
    22 de abril de 2013 às 23:17
    Amigos, boa noite

    Já é passada a hora de se utilizar nos Buzões rodoviários cintos de segurança de três pontas.

    O que precisa ser pesquisado e desenvolvido é um software e um sistema elertônico, isso sim.

    Vou dar a ideia, mas lembrem-se eu sou o autor.

    Precisa ser desenvolvido um software e um sistema eletrônico, que ao emitir a passagem para o passageiro da poltrona 23 do Buzão 047, o sistema já envia esta informação para o computador de bordo do Buzão 047, bem como dos demais passageiros que estarão a bordo do carro 047.

    Assim um painel avisa ao piloto quais os lugares estarão ocupados, acendendo uma luz referente a cada poltrona.

    Na fivela do sinto tem um sistema elétrico que a partir do momento que o passageiro da poltrona 23 afivelar o cinto a luz do painel do “piloto” referente a poltrona 23 se apaga e assim sucessivamente para todos as poltronas.

    Caso o passageiro vá ao toalete, o sistema eletrônico acusa o desafivelamento do cinto do passageiro da poltrona 23 no painel do motorista, mas ao entrar no banheiro, acende uma luz vermelha no painel do piloto, avisando que o passageiro da poltrona 23 está no toilette.

    Ao sair do toalete o sistema eletrônico, acende uma luz amarela no painel do piloto a qual será apagada após o afivelamento do cinto pelo passageiro da poltrona 23, voltando a acender a luz verde de todas as poltronas ocupadas, indicando que todos os passageiros estão usando o cinto.

    Caso qualquer passageiro desafivele o cinto ou não o afivele após a volta do toillet, após 10 segundos, uma voz digital soará sobre a cabeça do passageiro da poltrona “X” dizendo: ” Sr. passageiro da poltrona “X”, afivele imediatamente o seu cinto de segurança, pois se não o fizer o óleo do motor será cortado e o Buzão será impedido de seguir viagem, para o bem estar de todos.

    Não percam tempo com pesquisa óbvia, precisa sim é pesquisar fora da “caixinha” e obrigar o passageiro a usar o cinto na marra e pagar um mico perante todos os demais passageiros e só.

    Encarroçadoras esta ideia está a venda, a partir das 20:15 hs. do dia 22.04.2013, data da autoria
    deste sistema pelo Paulo Gil.

    Um G7 de 3 eixos, 0Km , daquele modelo que o último truck fica a mais ou menos 1,10 m do final do carro, com rodas super cromadas e uma pintura muiito loka (com a mesma tinta que a Santa Rita usa), ta vendida a ideia. A cor do Buzão eu defino mais tarde.

    Não aceito por modelo inferior, mas pode ser um contra tipo da Comil ou Irizar.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta