Na primeira madrugada de fase vermelha em São Paulo, 43 estabelecimentos foram autuados e 48,7 mil veículos vistoriados

Uma das baladas desfeitas pelas operações policiais na madrugada de sábado (06)

Ações das Polícias Militar e Civil, Procon-SP e Vigilância Sanitária continuam neste fim de semana

ADAMO BAZANI

Entre esta sexta-feira e sábado, 05 e 06 de março de 2021, o primeiro fim de semana com o retorno da fase vermelha em todo o Estado de São Paulo, a Vigilância Sanitária autuou pelo menos 43 estabelecimentos na capital por descumprimento das novas normas de circulação definidas pelo Governo do Estado. Destes, sete foram autuados por aglomerações e funcionamento após o horário permitido. Foram inspecionados bairros como Itaim Bibi, Pinheiros, Vila Mariana, Paraíso, Moema, Morumbi, Penha e Jabaquara.

Já a Polícia Militar realizou 1.352 orientações para dispersão de aglomerações. Ao todo, 26.179 pessoas foram abordadas e 21 delas, detidas. Além de vistoriar mais de 48,7 mil veículos, a PM também conseguiu capturar 16 procurados e localizar/recuperar 327 veículos.

Os policiais estiveram em regiões como praças Roosevelt e da República, Largo do Arouche, avenidas Paulista e Sapopemba e nas estações Belém e Tatuapé, na capital, e em diversos outros municípios do estado.

O balanço foi divulgado pelo Governo do Estado de São Paulo neste sábado, 06 de março.

Outras ações vão continuar neste fim de semana.

Como mostrou o Diário do Transporte, desde a 00h deste sábado até o dia 19 de março de 2021, todo o Estado de São Paulo foi colocado na fase vermelha pela gestão do governador João Doria.

Apenas atividades essenciais como saúde humana e animal, ônibus, trens, metrô, táxis, carros de aplicativo, entregas, segurança, supermercados, farmácias e limpeza, por exemplo, podem funcionar na fase vermelha. Na capital, as linhas de ônibus da madrugada funcionam normalmente.

Veja o que pode funcionar acessado este link:

https://diariodotransporte.com.br/2021/03/06/sao-paulo-ja-esta-na-fase-vermelha-veja-o-que-pode-funcionar/

Ainda de acordo com o balanço, em uma das operações, a Polícia Civil, por meio de equipes do GARRA (Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos) com agentes da Vigilância Sanitária, interrompeu uma grande festa clandestina que acontecia na zona leste da capital com cerca de 200 pessoas, a maioria sem máscara. No local, também foram apreendidas substâncias ilícitas, entre elas comprimidos de esctasy, cocaína, lança-perfume e bebidas falsas. Além disso, a casa também estava em situação irregular: sem alvará de funcionamento, sem saída de emergência, ligações elétricas clandestinas e extintores vencidos.

Além da fase vermelha, foi ampliado o horário de “toque de restrição”, com maior fiscalização sobre movimentação e poder à polícia para dispersar aglomerações, que passou a ser de 20h às 05h.

Segundo nota do Governo do Estado, o cidadão pode denunciar festas clandestinas e funcionamento irregular de serviços não-essenciais pelo telefone 0800-771-3541 e também pelo site do Procon-SP www.procon.sp.gov.br  ou Centro de Vigilância Sanitária secretarias@cvs.saude.sp.gov.br

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta