Diário no Sul

Cascavel (PR) suspende transporte coletivo até 8 de março diante de aumento de casos de covid-19

Foto: prefeitura de Cascavel

Ônibus no município ficarão sem rodar até 8 de março, e só atenderão a profissionais da saúde

ALEXANDRE PELEGI

A Prefeitura de Cascavel, no Paraná, diante do acirramento da pandemia da Covid-19 na cidade, instalou nessa segunda-feira, 01 de março de 2021, o Gabinete de Crise para deliberar ações de enfrentamento à crise na saúde.

Como primeira ação a prefeitura decidiu suspender o transporte coletivo a partir desta terça-feira (2) até o dia 8 de março.

Nesse período está em vigor o decreto estadual que aumenta as restrições em todo o Paraná.

De acordo com a prefeitura, a circulação dos ônibus será exclusiva para o transporte trabalhadores que atuam no setor de saúde.

Na manhã de hoje, entretanto, diversos trabalhadores da saúde divulgaram por meio das redes sociais que não estavam conseguindo encontrar ônibus em Cascavel.

O prefeito Leonaldo Paranhos justificou a suspensão do transporte dizendo que de 35 a 37 mil passageiros utilizam diariamente o serviço. Com o aumento exponencial do número de casos de Covid-19, o Gabinete de Crise optou por desacelerar a disseminação do vírus proibindo a circulação nos ônibus do município.

Em live realizada na tarde dessa segunda-feira (1), o prefeito afirmou: “Tendo em vista que estamos sem leitos e sem condições de contratar mais servidores, é uma medida que tinha que ser tomada. O transporte, não só de ônibus, mas de metrô também, é considerado o maior vetor do vírus”, disse Paranhos.

O prefeito ainda alertou a população que o momento é de caos e dias piores se desenham. “Decidimos que a partir de amanhã o transporte coletivo vai parar. Somente serão autorizados a usar o serviço, os trabalhadores da saúde”, enfatizou.

A presidente da Transitar, que gerencia o transporte coletivo municipal, Simoni Soares, explica que o sistema de Transporte Coletivo transporta cerca de 35 mil passageiros ao dia, em sua maioria em horários de pico, número que não é comportado de forma ideal, dentro das necessidades sanitárias de segurança exigidas para o combate a proliferação da Covid-19. “É uma medida extrema, mas necessária, se consideramos que este é um dos locais com maior índice de transmissão do vírus“, completa Simoni.

A prefeitura ainda vai editar uma portaria com a suspensão das atividades do transporte público para publicação no Diário Oficial do Município.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta