ÁUDIO: Comitê de Contingência deve recomendar medidas mais duras de restrição à circulação em São Paulo

Paulo Menezes vê ritmo do avanço da doença como preocupante

Reunião deve ocorrer nesta semana e endurecimento de regras pode ser anunciado. Secretários de Saúde enviam carta à gestão Bolsonaro pedindo que aja de fato contra a covid-19 e citam aviação e transportes interestaduais

ADAMO BAZANI

Colaboraram Jessica Marques e Willian Moreira

O Estado de São Paulo deve ter medidas mais duras de restrição à circulação e às atividades comerciais para o enfrentamento do avanço da covid-19 que, se continuar no atual ritmo, em poucos dias pode sair do controle e colapsar os sistemas de saúde tanto da rede pública como privada.

Em entrevista coletiva no início da tarde desta segunda-feira, 01º de março de 2021, o coordenador do Centro de Contingência da covid-19, Paulo Menezes, disse que a situação atual é preocupante porque a transmissão está muito alta e que o comitê vai recomendar ao governador João Doria que sejam adotadas medidas mais restritivas.

“Sem dúvida é extremamente preocupante o que nós estamos observando. Eu posso dizer que a velocidade de crescimento de internações que nós estamos assistindo nos últimos dias não tinha sido vista anteriormente nesse um ano de pandemia. A transmissão está muito alta e a forma principal de reduzir a transmissão é evitar que as pessoas se encontrem. Para isso, existem as medidas restritivas. O Centro de Contingência está discutindo quais recomendações fará esses dias para o Governo. Eu acredito que vai ser no sentido de maior restrição para a maior parte do Estado de São Paulo. Também já tinha adiantado que estamos discutindo outras possibilidades, especificamente a possibilidade de ter uma classificação talvez mais restritiva do que a vermelha. Mas já adianto que a nossa classificação vermelha já é bastante restritiva e ela é muito semelhante à classificação mais restritiva de muitos estados e de muitos países, inclusive.” – disse Paulo Menezes

OUÇA:

Já o coordenador-executivo do Centro de Contingência, João Gabbardo, disse que os 27 secretários estaduais de Saúde enviaram uma carta oficial à gestão do presidente Jair Bolsonaro pedindo que agora o Governo Federal aja de verdade contra a covid-19.

Para Gabbardo, até então, as principais ações são dos governadores e prefeitos enquanto que o Governo Federal só adota uma postura reativa e ainda confunde a população sem medidas unificadas, minimizando a pandemia, estimulando o uso da cloroquina sem comprovação científica e, ainda segundo o coordenador-executivo, dando mau exemplo como promovendo aglomerações e até criticando o uso de máscaras.

Gabbardo já atuou no Ministério da Saúde quando Luiz Henrique Mandetta era ministro que saiu após divergências quanto à política de Bolsonaro frente à pandemia.

Segundo Gabbardo, os secretários de Saúde estaduais querem que agora o Ministério da Saúde tome à frente do processo, o que não fez até hoje, para ter posições claras e objetivas, como um toque de recolher a partir das 20h, por exemplo.

“O ponto de referência é uma correspondência que hoje está sendo encaminhada ao Ministério da Saúde dos 27 secretários estaduais da Saúde com exatamente isso, chega ! A partir de agora o Ministério da Saúde tem que assumir a responsabilidade deste processo. E são algumas posições muito claras e objetivas em relação ao que está solicitando o Ministério da Saúde. O Ministério da Saúde tem que dizer que a partir de agora está proibido qualquer tipo de aglomeração, qualquer tipo de evento presencial. O Ministério da Saúde deve dizer a partir de agora, estou colocando a posição dos secretários estaduais de saúde, o toque de recolher a partir das 20h no Brasil inteiro, todo o país.”

O coordenador ainda diz que é necessário renovar o Estado de Emergência no Brasil que venceu e, com isso, inviabiliza ações mais integradas contra a covid-19.

“Está sendo solicitado que o Governo Federal faça com que a sua responsabilidade, o controle das praias, o fechamento das praias, da utilização destes espaços por um determinado período, tudo isso é por um determinado período. Além disto, o reconhecimento do Estado de Emergência que já venceu o prazo e nós estamos sem a legislação que dá a segurança em função do Estado de Emergência.”

Sobre a transmissão do vírus, inclusive das novas variantes, Gabbardo alega que é necessário um plano nacional de comunicação e ação mais enérgica do Governo Federal no controle de atividades sobre as quais estados e municípios não têm ingerência, como transporte aéreo e transporte interestadual, considerando ônibus rodoviários e rodovias.

“E o outro ponto extremamente importante, o Plano Nacional de Comunicação, isto é fundamental para que a gente possa ter algum resultado daqui para a frente. Tem algumas questões que são as barreiras sanitárias que não são prerrogativa dos governadores, e a gente sabe que hoje a circulação das variantes, a situação do vírus ocorre seguindo o roteiro do transporte aéreo e quem é que pode fechar o transporte aéreo não são os governadores. A transmissão do vírus e dessas variantes tem ocorrido através do transporte interestadual e quem é que pode legislar sobre o transporte interestadual é o Governo Federal. Então acho que a partir de agora nós não podemos mais, secretários, governadores, prefeitos, ficarmos tentando soluções próprias para o enfrentamento da pandemia.”

OUÇA:

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Colaboraram Jessica Marques e Willian Moreira

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. maria lopes disse:

    Enquanto as pessoas não se conscientizarem, a covid-19 não vai parar. Um desrespeito geral.

  2. wilson romero disse:

    Medidas que não são cumpridas, neste exato momento está cheio de bares abertos com consumo presencial oque está proibido. Nem denunciando é feita fiscalização . De que adiantam medidas sem fiscalização?

  3. JOSÉ LUIZ VILLAR COEDO disse:

    ESPEREMOS QUE AS ESCOLAS PÚBLICAS E PRIVADAS FECHEM DE NOVO! PRA QUE VOLTAR AS AULAS PRESENCIAIS…SE NEM OS GANANCIOSOS GERENCIADORES DE ESCOLAS PRIVADAS COLOCAM EM PRÁTICA OS PROTOCOLOS BÁSICOS DE SEGURANCA?! QUE DIRA AS PUBLUCAS… SUCATEADAS DESDE O FIM DO REGIME MILITAR EM 1.985… TÁ DE BRINCADEIRA! ESPEREMOS QUE O DORIA NÃO VOLTE ATRÁS E QUEIRA AGIR IMPIAMENTE FECHANDO IGREJAS ! O POVO PRECISA DE DEUS, DE ACADEMIAS PRA NÃO TEREM DIABETES E HIPERTENSÃO… E RELAXAREM ! PRECISA DE SALOES DE BELEZA E BARBEIROS ! E CADÊ AS VACINAS ????!!! VACINAS PRA TODOSJA! ATÉ ADOLESCENTES ESTÃO PEGANDO ESSA PESTE TERRÍVEL! E O GOVERNO FEDERAL DO SR. BOLSONARO… É PATÉTICO E NEGACIONISTA! QUE ADIANTA ESSA M… DE “…AH…PELO MENOS É HONESTO E NAO ROUBA! …” KKKKKKK QUE SE DANE! É OBRIGAÇÃO DELE COM DEUSCE COM O POVO NÃO ROUBAR DINHEIRO PÚBLICO E NEM NOS CARGOS E NEM DE NINGUÉM ! PENSAMENTO IDIOTA ! ACORDA PORCARIA! VÊ SE AGE ! QUE TIPO DE MILITAR FOI VC??! QUETIPO DE CRISTÃO é VC BOLSONARO?! O POVO ESTÁ MORRENDO E SOFRENDO PACAS!

  4. Denise Andreoli disse:

    Interessante… cadê os comentários de ontem que foram contrários a essa palhaçada de lockdown? O moderador só deixa os que são a favor e apaga o resto?

    1. diariodotransporte disse:

      Tinha um monte com palavrão, Tivemos de deletar vários por causa disso

      1. Denise Andreoli disse:

        O meu não tinha nenhum palavrão. Cadê?

      2. diariodotransporte disse:

        Reescreva que postamos

Deixe uma resposta