Marcopolo tem queda na produção, lucro e receita no consolidado de 2020

Em meio à pandemia de covid-19, empresa enfrentou queda na produção de veículos. Foto: Divulgação.

Receita operacional líquida foi 17,8% menor que em 2019. Já a produção encolheu 26,8%, mas participação na produção brasileira de ônibus cresceu

JESSICA MARQUES/ADAMO BAZANI

A Marcopolo S.A. que engloba as marcas Marcopolo, Volare e Neobus, registrou queda na produção, lucro e receita no acumulado do ano e no quarto trimestre de 2020.

Os dados foram divulgados nesta quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021, pela empresa.

Segundo o informe financeiro, a receita operacional líquida da Marcopolo S.A., no acumulado de 2020, registou queda de 17,8% em 2020 na comparação com 2019. Enquanto em 2020, esta receita foi de R$ 3.589,7 milhões, em 2019 atingiu R$ 4.367,4 milhões.

No quarto trimestre de 2020, a receita operacional líquida foi de R$ 1.035,3 milhão, o que representa uma redução de 16,9% em relação ao quarto trimestre de 2019.

Por sua vez, o lucro bruto em 2020 foi de R$ 595,6 milhões, ou 8,4% menor que os R$ 650,3 milhões de 2019.

No quarto trimestre de 2020, o lucro bruto foi de R$ 178,4 milhões. O valor representa uma queda de 6,6% também comparada ao mesmo período do ano anterior.

Já o EBITDA, que é o lucro antes de taxas, impostos e juros, totalizou em 2020, R$ 268,5 milhões, representando queda de 20,6% frente ao resultado de 2019 que foi de R$ 338 milhões.

No quarto trimestre de 2020, o EBITDA  foi R$ 149,5 milhões, o que significa um aumento de 33,8%.

A produção das marcas da Marcopolo em 2020 foi de 12.309 unidades, contando o Brasil (10.774), África do Sul (170), Austrália (375), China (34), México (724), Argentina (232).

O resultado representa queda de 21,8% em relação à produção global da Marcopolo em 2019, que foi de 15.741 unidades.

No quarto trimestre de 2020, em meio à pandemia de covid-19, a marca produziu 3.119 unidades para todos os mercados que atua. O resultado é 20,9% inferior aos últimos três meses de 2019.

De toda a produção mundial da Marcopolo em 2020, a maioria foi de Urbanos (5.727 unidades), seguida por miniônibus Volare (2.413), Rodoviários (2.218) e micros (1.951).

De acordo com o balanço, em 2020, a participação da Marcopolo na indústria brasileira de ônibus foi de 52,7%, o que representa crescimento, já que em 2019, a participação era de 49,8%

Veja o balanço completo:

Adamo Bazani e Jessica Marques, jornalistas especializados em transportes

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta