Convênio entre Governo do Ceará e prefeitura de Fortaleza prevê gestão compartilhada do transporte na Região metropolitana

Ônibus municipal de Fortaleza. Foto: Luciano Tavares / Ônibus Brasil.

Estado poderá transferir recursos ao Município para pagamento dos contratos dos serviços de transporte coletivo, o que possibilitará aumento da frota de ônibus em horários de pico 

ALEXANDRE PELEGI 

Um convênio entre a prefeitura de Fortaleza e o governo do estado do Ceará vai permitir que a frota de ônibus na capital possa receber mais 200 ônibus para reforço no horário de pico. 

A celebração do termo entre as duas instâncias de poder foi autorizada por meio de um projeto de lei encaminhado pelo Estado no dia 22 de fevereiro, e aprovado pela Assembleia Legislativa nesta quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021. 

O projeto de lei nº 21/21 autoriza o Executivo a promover ação compartilhada entre o Estado e o município de Fortaleza, na intenção de viabilizar, como medida de enfrentamento à Covid-19, a ampliação, em horários de maior circulação de pessoas, da frota de ônibus do serviço de transporte coletivo urbano da Capital.  

Com a medida mais 200 ônibus reforçarão a frota nas ruas da capital cearense. 

Para isso, o convênio autoriza o Estado a transferir recursos ao Município para pagamento dos contratos dos serviços de transporte coletivo. O objetivo é evitar ao máximo aglomerações no transporte em virtude da pandemia de Covid-19. 

A medida segue agora para sanção do governador Camilo Santana (PT).  

O projeto prevê ainda que o convênio seja estendido para os serviços de transporte coletivo urbano da Região Metropolitana de Fortaleza.  

Como mostrou o Diário do Transporte, outros 200 ônibus foram acrescentados nos horários de pico à frota de coletivos, conforme informado pelo prefeito de Fortaleza, Sarto Nogueira, em vídeo divulgado em 5 de fevereiro de 2021. Relembre: 

Prefeitura de Fortaleza (CE) determina acréscimo de 200 ônibus à frota em operação


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta