Câmara de Mauá aprova investigação sobre atuação da Suzantur na cidade

Ônibus da Suzantur em Mauá

Remanejamentos de frota para outras cidades e abrigos nas paradas são alguns dos temas que devem ser apurados

ADAMO BAZANI

A Câmara Municipal de Mauá, no ABC Paulista, aprovou em sessão desta terça-feira, 23 de fevereiro de 2021, a criação de uma CEI (Comissão Especial de Inquérito) para investigar a atuação da empresa Suzantur, concessionária das linhas municipais desde 2014.

Foram 20 votos favoráveis à instauração da CEI.

A comissão foi proposta pelo vereador Erismar Soares, que deve ser o presidente da CEI. O vereador Afonso Madeira deve ser o relator.

O objetivo principal, segundo Soares, é verificar se a companhia está cumprindo todas as exigências do contrato.

A CEI deve durar 90 dias, podendo ser prorrogada.

Entre os itens que serão verificados estão se as instalações de abrigos nas paradas estão sendo feitas conforme o cronograma e os remanejamentos de frota de Mauá para os sistemas de outras cidades onde a Suzantur opera.

Ao Diário do Transporte, o proprietário da Suzantur, Claudinei Brogliato, disse que houve uma confusão pelo fato de a empresa adotar o mesmo padrão de pintura em todas as cidades onde opera e que serão prestados todos os esclarecimentos à Câmara Municipal.

“Vamos com tranquilidade prestar contas para Câmara. Não há nada de errado, há uma confusão, pois adotamos uma pintura única para as cidades que prestamos serviço” – afirmou

Como mostrou o Diário do Transporte, no processo da decisão que determina que a empresa receba da prefeitura R$ 1 milhão por mês como forma de recuperar os prejuízos alegados pela Suzantur em decorrência da pandemia de covid-19, o poder público apontou que 18 veículos do sistema de Mauá foram remanejados para linhas em Diadema.

Inicialmente, a juíza Julia Gonçalves Cardoso, da 3ª Vara Cível de Mauá, do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, não viu problemas no remanejamento, mas determinou que a perícia que vai verificar os valores alegados como prejuízo pela Suzantur apure também se houve algum impacto econômico com a transferência dos veículos.

A magistrada entendeu que ainda não está comprovada ainda irregularidade nesta transferência de frota.

Os argumentos, contudo, ao menos em sede de cognição sumária, não bastam para afastar o pedido de concessão de auxílio financeiro da concessionária. Em primeiro lugar, os prejuízos narrados pela autora remontam ao início da pandemia, sendo abril de 2020 o primeiro mês noticiado por ela, muito antes, portanto, da suposta utilização indevida da frota de Mauá no Município de Diadema a partir de agosto do mesmo ano. Em segundo lugar, a averiguação a respeito de tais irregularidades não está concluída, de modo que, estando até o momento no campo da mera suspeita, não podem obstar a necessidade presente e premente de, promovendo o reequilíbrio econômico-financeiro do contrato de concessão do transporte coletivo em Mauá, garantir a continuidade de tal serviço público essencial.

Ônibus da Suzantur com placas de Mauá foram vistos também em Ribeirão Pires, onde a empresa também atua após ter adquirido a Rigras.

REROTA:

Em junho de 2017, a Suzantur foi a primeira empresa de ônibus do Brasil a assinar um contrato de renovação de frota de ônibus no âmbito do Refrota-17, um programa que contava com recursos do FGTS, anunciado em dezembro de 2016.

O contrato foi firmado entre a Caixa Econômica Federal, operadora do financiamento, e a empresa Suzantur.

Os investimentos foram de R$ 30,3 milhões, sendo R$ 28,7 milhões financiados e R$ 1,5 milhão de contrapartida da empresa. O dinheiro foi destinado para comprar cerca de 100 ônibus para as operações em Mauá.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2017/06/12/suzantur-assina-primeiro-contrato-do-pais-do-refrota-com-a-caixa-e-vai-comprar-onibus-para-maua/

Os vereadores vão apuar se entre os ônibus remanejados para Diadema e Ribeirão Pires estão veículos financiados pelo Refrota e se as transferências são possíveis pelo contrato de financiamento desde que não haja déficit nas operações em Mauá.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Antonio Cezio de Paula disse:

    O povo de Mauá quer a volta da Leblon

  2. Antonio Cezio de Paula disse:

    Queremos a Leblon de volta pra Mauá

  3. Sandy Maria disse:

    Volta LeBron. Ônibus com ar condicionado, limpos, novos.

  4. Valdemir Pedro Estrella disse:

    E o que estão fazendo a respeito das quantide de ônibus por linha ,organizações de horário dos ônibus e organização das filas no terminal de Mauá que a meu ver está virando um caos?

  5. Pereira disse:

    Com certeza , pois eu fui passa no no hospital , e viu alguns ônibus em Diadema,com o nome de Mauá, eu achei muito estranho mais, não tinha que fazer,.Eu moro no jdm saída 3 tinha , três ônibus que circulava, e hoje só dois,. E mais se eles tirou o ônibus de,Mauá e colocou em outras cidades, então não tiveram prejuízo,pois foram remanejado para outra cidades,que eram para ficar aqui em Mauá, então não e devido a pagar neum, tustao.

Deixe uma resposta