Metrô adia licitação de projetos e obras de estações e pátio da linha 15 de monotrilho

Com projeto, linha de média capacidade aumenta em 3,5 km

Concorrência prevê elaboração do projeto executivo e execução das obras civis das estações Boa Esperança, Jacú Pêssego e Pátio Ragueb Chohfi, fornecimento e implantação dos sistemas de alimentação elétrica e auxiliares

ADAMO BAZANI

A Companhia do Metropolitano publicou neste sábado, 20 de fevereiro de 2021, aviso de adiamento de uma licitação para ampliação do monotrilho da linha 15-Prata.

A concorrência prevê elaboração do projeto executivo e execução das obras civis das estações Boa Esperança, Jacú Pêssego e Pátio Ragueb Chohfi, fornecimento e Implantação dos sistemas de alimentação elétrica e auxiliares.

O projeto amplia a linha do sistema de média capacidade para 18 km e 13 estações.

De acordo com a publicação oficial, a sessão pública de recebimento e abertura foi adiada para o dia 30 de abril de 2021.

Como havia mostrado o Diário do Transporte, a data inicial prevista para a abertura das propostas era 05 de março de 2021.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/12/19/metro-abre-licitacao-para-projeto-e-obras-das-estacoes-boa-esperanca-e-jacu-pessego-da-linha-15/

O adiamento ocorre após a inclusão de novos documentos técnicos na concorrência, que estarão disponíveis a partir de segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021.

A data-base das propostas deverá ser 01º de abril de 2021. O prazo para pedidos de esclarecimento foi prorrogado para 07 de abril de 2021, e para disponibilização das respostas, 15 de abril de 2021.

Segundo a Companhia do Metrô, com mais estas duas estações e cerca de 3,5 km de vias, o monotrilho vai chegar a 18 km de extensão e 13 estações,
A concorrência lançada envolve a contratação da elaboração dos projetos executivos e a construção das estações Boa Esperança e Jacú Pêssego, além do Pátio Ragueb Chohfi para o estacionamento e manutenção de trens.
O Metrô informou ainda que realiza outras obras na Linha 15, como a construção da estação Jardim Colonial, que deve ficar pronta em 2021 e vai acrescentar 1,8 km à linha.

“Também são feitas as obras da Subestação Primária Iguatemi, que aumentará o fornecimento de energia elétrica e atenderá a ampliação do monotrilho, além da extensão Oeste, ao lado da Vila Prudente, que vai agilizar a manobra dos trens, possibilitando a redução dos intervalos de circulação. O edital da ampliação até Jacú Pêssego já está disponível e as propostas devem ser recebidas em março de 2021. Atualmente a Linha 15-Prata funciona de Vila Prudente a São Mateus com 12,8 km de extensão e 10 estações.” – complementa a nota.

HISTÓRICO

(Alexandre Pelegi)

Como mostrou o Diário do Transporte, o Metrô de São Paulo divulgou no dia 11 de maio de 2020 os detalhes de um Aviso de Licitação para a prestação de serviços de engenharia especializada na adequação da Avenida Ragueb Chohfi, para que a via esteja apta a receber obras de expansão da Linha 15-Prata do monotrilho.

Além da avenida, estão incluídos no edital alterações em ponto de ônibus junto à estação Oratório e a destinação de uma área próximo à estação São Mateus, para a SPTrans utilizar o local para o estacionamento de até 12 ônibus.

Os estudos alvo da licitação vão permitir no futuro que o alargamento da Ragueb Chohfi seja realizado no trecho entre as ruas Forte de Macaé e Lídia Maria, permitindo assim um canteiro central mais largo por onde as vias do monotrilho serão instaladas com suas as colunas da estrutura.

No estudo também será feito um levantamento do solo da região, o que inclui as redes de infraestrutura como água, esgoto, luz e telefonia.

Em um trecho de 3 km de expansão, estão previstas ainda duas novas estações depois da Jardim Colonial, atualmente em construção e com previsão de entrega em 2021. São as estações Boa Esperança e Jacu Pêssego, que vão aproximar um pouco mais a linha da Cidade Tiradentes, como desenhada em seu projeto inicial para que chegasse ao extremo da Zona Leste.

Com a licitação publicada hoje o Metrô caminha para concluir esse trecho.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Olá amigos. Se imaginei bem, farão um páteo de oficina ali, na mata da Boa Esperança, em meio as antenas de energias, desmatar, acabar com resto de verde, apesar de termos do outro lado o grande parque do Carmo. Tipo assim canteiro eterno de obras (parecido) da Vila Sônia, que nunca acaba…e de certo terá milhões de toneladas de concretos e ferros, cobrindo até mesmo nascentes do local. Vivi meus tempos de adolescente na região, me aventurei nos lagos daquele local e logo dará espaço à concreto. Bem possível que ali esteja a nascente do Aricanduva, bem certo…que triste.

Deixe uma resposta