Ao menos sete empresas de ônibus podem paralisar os serviços no Rio de Janeiro por causa do aumento do diesel, diz Rio Ônibus

Ônibus no Rio de Janeiro

Combustível fica 15,2% mais caro a partir desta sexta-feira (19). Viações também criticaram o que classificaram como falta de compromisso do Governo Federal com a mobilidade urbana

ADAMO BAZANI

Pelo menos sete empresas de ônibus no Rio de Janeiro correm o risco de paralisar as operações  por causa do aumento do diesel, que fica 15,2% mais caro a partir desta sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021. Entre as companhias estão Pavunense, Campo Grande e Penha Rio.

A informação está em nota oficial desta quinta-feira (18) do Rio Ônibus, que é o sindicato que representa as companhias de ônibus da capital.

Como mostrou o Diário do Transporte, é  terceiro aumento no ano com acúmulo de 27,72%.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/02/18/petrobras-aumenta-de-novo-diesel-e-gasolina-nesta-sexta-19/

No comunicado, os empresários de ônibus dizem que “a elevação no custo do diesel comprova a falta de compromisso do Governo Federal com a mobilidade urbana e com o custo do transporte para a população, já que o item corresponde a 25% do valor médio das passagens”

Segundo a nota, para o cliente final, o litro do diesel passa dos R$ 3,85.

“No aumento anterior, registrado já em fevereiro, as empresas de ônibus passaram a pagar R$ 3,39. O combustível é o segundo insumo de maior custo para empresas de ônibus, que passam por seu pior momento financeiro, sem receber nenhum tipo de auxílio por parte dos governos”.

As empresas de ônibus se queixaram mais uma vez do congelamento das tarifas “há mais de 24 meses, redução de 50% no número de passageiros desde o início da pandemia, além da falta de fiscalização contra o crescimento desenfreado do transporte ilegal por vans na cidade, entre inúmeros outros problemas relatados insistentemente pelos consórcios ao poder concedente”

O porta-voz do Rio Ônibus, Paulo Valente, criticou ainda o fato de a gestão do presidente Jair Bolsonaro não fazer nada para impedir que estes reajustes constantes do diesel sejam repassados aos transportadores.

“No primeiro momento do isolamento social, quando o registro de passageiros caiu 80%, o poder público já não apresentou nenhuma medida de apoio às empresas. Desde então, nada foi feito. Pelo contrário, além de vetar o auxílio financeiro aprovado pela Câmara de Deputados ao setor, no final do ano passado, a Presidência da República ainda permite que seja repassado aos transportadores o aumento inconcebível anunciado esta semana. A reação foi automática. Com o litro por R$ 3,85, as contas não fecham e empresários já anunciam possibilidade de redução ainda maior de suas operações, com risco de encerramento de suas atividades – afirmou.

A nota complementa dizendo que somente no Rio de Janeiro, as empresas acumulam prejuízos de R$ 1 bilhão

A alta do diesel é um dos itens que expõe o colapso econômico das empresas de ônibus. Sem auxílio do poder público, o setor contabiliza déficit superior a R$1 bilhão em 2020 para manter a frota nas ruas. A realidade foi intensificada pela crise provocada pelos impactos gerados pela Covid-19. Também estão na longa lista de itens que levaram as empresas à situação atual, a falta de segurança pública, o crescimento no número carros de aplicativo que operam sem regulamentação definida, a falta de infraestrutura viária e o não ressarcimento de gratuidades concedidas.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. carlos souza disse:

    E falta de legitimidade desse país,também.Não é à toa que o Brasil é mesmo o país do crime.Tudo só funciona à base do ilícito e do ilegal.E o (des)governo demófobo(anti-povo) de Bolsonaro está contribindo para a falência moral desse país.

  2. Ricardo disse:

    Quem está deixando o preço dos combustíveis insuportável são os Governadores, que estão abusando em ICMS sem contar que isso é bitributação.

    1. Fabio disse:

      Exato! Esse papo de que tudo é “culpa do presidente” não cola mais!

  3. Salis disse:

    O culpado disso é o povo, 80/ por cento Analfabeto, estão preocupados mas com festas do que para seus bens, contudo, só prejudica os trabalhadores, que são minoria no país da corrupção.
    A verdade é que ninguém gosta da verdade.

  4. Sulivan disse:

    Tudo que é legalizado nesse país não tem apoio dos governantes as empresas já sofrem com os constantes aumentos dos combustíveis e a falta de fiscalização desses carros piratas disfarçados de aplicativos

  5. Fernando Santos disse:

    …e o dinheirão que era pago de propina para as excelências? Não economizaram? Ou será que ainda estão pagando? E já que o assunto ônibus está voltando a pauta, cadê as licitações? Vão continuar os mesmos? Nada vai mudar? Estão só esperando cair no esquecimento?

  6. Fabio disse:

    Acho curioso NINGUÉM questionar os GOVERNADORES, já que o que mais ajuda a encarecer o combustível é o ICMS, que é imposto ESTADUAL

  7. Leandro Meloni de Lima disse:

    O governo federal 00 o imposto faderal agora basta os governaderes fazarem o mesmo,. Agora Sera q tem peito?

  8. André Luis disse:

    Procurem saber o peso dos impostos estaduais.
    Procurem saber se realmente as empresas estão tendo prejuízo.

    Há pouco tempo atrás tinha empresário de ônibus enchendo o bolso de político do RJ com milhões. O povo esquece muito rápido!!

    1. Alexandre disse:

      Isso e verdade mesmo tiravam dosbtrabalhadores para bancar a propina

  9. Fabiano rocha disse:

    Tem que parar e uma sacanagem esse almeno

  10. Jadiael valladao disse:

    Preço da passagem defasada em relação aos preços das passagens trem e metrô, fora ônibus incendiados pela violência que rola no Rio de Janeiro, custo operacional com reposição de peças e outros elementos etc

  11. Rodrigo disse:

    Tem q parar é tudo.

  12. Sérgio Goes disse:

    Se a Jabour fechar as portas, o povo da Zona Oeste agradecerá. Péssima empresa, escolacha seus passageiros. Na linha 884, C. Grande x Sepetiba, a Jabour fica inventando itinerários, cada vez mais longos. Na ida, sai de Sepetiba e quando chega na Est. do Magarça, entra no Jardim Maravilha _ antes não entrava_ roda 7 minutos lá dentro, ” catando” passageiro e sem necessidade, pois no J. Maravilha há outras linhas de ônibus para C. Grande ( da própria Jabour), além de Vans.
    Na volta, agora, quando sai da Estação BRT Magarça, o 884, não faz mais o retorno na Av. D. João VI, para continuar na Estrada do Magarça ( Cinco Marias). No novo itinerário, o 884 sai do BRT Magarça e vai direto para o BRT Pingo Dágua e depois, segue pela Estrada da Pedra até a Estrada do Piauí. Ou seja, uma sacanagem com o povo, que aumenta o tempo de viagem na ida e na volta, além da linha fazer um itinerário indo e um diferente na volta.

  13. Elison disse:

    A culpa não é do presidente e sim dos governadores e prefeitos que sobrepõem taxas de imposto e colocam a culpa no governo federal na tentativa de derruba-lo só que isso não cola mais o povo não cai mais nessa marmota. Só que o povo também precisa de ir as ruas pra forçar na marra a palhaçada de roubos absurdos desses corruptos com o poder que emana do povo. E outra coisa o povo não pode reclamar muito porque está acreditando na grande mídia e colocando os ladrões no poder como exemplo o atual prefeito da cidade do RJ.

  14. SERGIO RICARDO DA COSTA disse:

    O que as empresas querem é uma maravilha de hipocrisia: o governo “dá” o diesel subsidiado (mas não dá, REPASSA impostos da população, até dos outros estados), o patrão coloca o lucro no bolso e a população pensa que houve uma “bondade”, mas, vai pagar em impostos mais caros.
    Enfim, um arranjo perfeito para… explorar o povo, dizendo que está ajudando o povo (mas, está ajudando, você sabe quem, aquele espertão que tem casas de campo e de praia e, jamais, jamais, anda nos seus próprios ônibus).

  15. Lake emerald disse:

    Vê-se q como mídia independente e apartidária (mesmo porque no Brasil não existe direita e e esquerda, somente quem está no poder e quem não está) faz seu papel de apenas noticiar o que a nota das empresas trouxe. Nem é tão difícil de entender isso.
    Por sua vez, a nota do Rio Ônibus.. nso fala de qual Imposto Federal inclui sobre os Ônibus pois receberam de incentivo, obtiveram monopólio absoluto ate Concessões em licitacões fraudulentas etc.. cade isenção de icms , ja que pagam menos impostos sociais ( povo que entende uma notícia de maneira errada e lê com os olhos, mas interpreta com o fígado, é quem gera Fake News)

  16. Michel disse:

    No rio de janeiro os prejudicados são os trabalhadores rodoviário.porwue os empresários esta cada vês mais ricos com aumento de função como dirigir e combra agora não pagando horas extras e só tirando de nos e o jaco barata pagando corrupção aos prefeito e os deputados o povo não tem que reclama do nosso presidente da República não.temos que ver o Eduardo pães preso como o Cabral !!!! Seus antes Bolsonaro filhos da p…..

  17. Bernardino Gonçalves disse:

    O auxílio emergencial têm que ter um financiamento, esse foi o meio que o governo federal encontrou. Vai tirar esse dinheiro de onde? Acorda gente!

Deixe uma resposta