Diário no Sul

Maringá (PR) amanhece sem transporte coletivo pelo segundo dia, mesmo após empresa quitar salário em atraso

Foto: Guilherme Rogge / Ônibus Brasil

Motoristas afirmam que retorno ao trabalho só ocorrerá quando TCCC definir outras questões, como pagamento do PPR, reposição salarial e horas extras

ALEXANDRE PELEGI

Os motoristas dos ônibus da Transporte Cidade Canção (TCCC) em Maringá, no Paraná, mantém nesta terça-feira, 9 de fevereiro de 2021, a greve que iniciaram ontem.

Nesta manhã, nenhum coletivo deixou as garagens da empresa.

No fim da tarde dessa segunda (08) a TCCC quitou os 50% restantes do salário dos motoristas que motivou a paralisação.

Por causa da crise financeira decorrente dos impactos da pandemia, a empresa afirmara anteriormente que iria parcelar essa segunda parcela, devido a um pesado déficit de R$ 24 milhões no caixa. A decisão desagradou os motoristas.

Mesmo com o pagamento, no entanto, os funcionários decidiram manter a paralisação, condicionando o término do movimento ao atendimento de outras reivindicações, pagamento do Programa de Participação nos Resultados (PPR), reposição salarial e horas extras.

O Sindicato dos Condutores de Veículos Rodoviários de Maringá (Sinttromar) afirma que o movimento é espontâneo da categoria, e que cabe à entidade apoiá-lo.

PREFEITURA DETERMINA FROTA MÍNIMA

A prefeitura, em entrevista coletiva na manhã de ontem, notificou a TCCC para que a empresa colocasse ao menos 30% da frota de ônibus para atender a população.

Além disso, a TCCC terá que justificar detalhadamente sua situação financeira atual.

O secretário de Inovação, Aceleração Econômica, Turismo e Comunicação, Marcos Cordiolli, que participou da entrevista em lugar do prefeito, disse não haver por enquanto previsão de notificação para rescisão de contrato, mas que a empresa teria que comprovar que tem capacidade para cumprir o restante do tempo de concessão.

Marcos Cordiolli ressaltou que a TCCC já está no décimo ano do contrato de concessão, e tem mais dez anos ainda, e a notificação é fundamental que a gestão financeira seja eficiente para honrar o que foi concessionado com o município.

PREFEITO DISSE QUE NOTIFICARIA TCCC PARA RESCISÃO DE CONTRATO

Como mostrou o Diário do Transporte, no domingo (7) o prefeito Ulisses Maia afirmou que notificaria a TCCC para rescisão de contrato, caso a empresa não pagasse os salários dos motoristas de ônibus. A informação foi divulgada pelo prefeito por meio do Twitter.

“Como vocês sabem, sempre estive ao lado dos funcionários e passageiros do transporte coletivo. Dessa vez, não será diferente. Espero que a TCCC cumpra sua obrigação e pague o salário dos motoristas. Caso contrário, tomaremos mais providências contra a empresa”, disse o prefeito.

“Faremos notificação para rescisão do contrato de concessão. Entendo que dificuldades financeiras por conta da pandemia muitas empresas têm. Por isso, muitos estão se adequando, inovando e mudando os serviços. Porém, nem por isso deixaram de pagar salário ou pressionaram os trabalhadores para pedir que a prefeitura resolva, quando a obrigação é da empresa. Se fosse assim, teríamos que disponibilizar recurso público para toda empresa em dificuldade. É inviável e injusto com a população”, completou.

Relembre:

Maringá (PR) vai notificar TCCC para rescisão de contrato caso motoristas não recebam salário

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. DIEGO disse:

    E segue a novela…

Deixe uma resposta