Justiça determina que Severo pague R$ 365 mil à Itapemirim/Kaissara por chassi e mais R$ 15 mil como indenização por danos morais

Ônibus da empresa Severo (Foto Meramente Ilustrativa)

Empresa terá ainda de apresentar notas fiscais de locação de ônibus que anunciou não ter sido paga, para Itapemirim/Kaissara regularizar situação. Severo diz não ter sido notificada da decisão

ADAMO BAZANI

O juiz Marcelo Tsunoda, da 9ª Vara Cível, do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, determinou que a empresa Severo Turismo Eireli pague à Viação Caiçara (Kaissara, da Itapemirim) R$ 365 mil como “restituição” referente à compra não concretizada de um chassi de ônibus.  A Kaisssara alega no processo que repassou o dinheiro para a Severo para a compra.

O magistrado ainda determina que a companhia pague R$ 15 mil de indenização por danos morais à Kaissara/Itapemirim, além de apresentar notas fiscais referentes ao período de 09 de dezembro de 2016 a 29 de janeiro de 2020, referente à locação dos ônibus para que a Itapemirim/Kaissara regularize os pagamentos pelos serviços da Severo.

A decisão é de 26 de janeiro de 2021, mas foi divulgada nesta sexta-feira, 05 de fevereiro de 2021.

O Diário do Transporte mostrou em 31 de janeiro de 2020, que a Severo anunciou que estava na ocasião cobrando por notificação extrajudicial da Itapemirim/Kaissara aproximadamente R$ 2 milhões por supostos atrasos nos aluguéis de ônibus.

Na época, a Severo argumentou que a Itapemirim/kaissara fazia depósitos em torno de R$ 150 mil pela quilometragem rodada dos ônibus com abatimento de combustível.

Na ocasião também, a Itapemirim/Kaissara informou que o valor apresentado pela Severo não se tratava de um atraso ou dívida, mas de ajustes de contas que criam uma espécie de “colchão financeiro”, previsto em contrato, porque as empresas, inclusive a Severo, usam óleo diesel e infraestrutura das garagens da Itapemirim.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/01/31/severo-turismo-cobra-r-2-milhoes-da-itapemirim-por-aluguel-de-onibus-piva-nega-atraso/

OUTRO LADO:

O Diário do Transporte entrou em contato com a Severo Turismo nesta sexta-feira (05) que informou à reportagem que sequer foi citada para responder ao processo, não sabendo assim de sua existência.

A empresa ainda afirmou que o seu corpo jurídico cuidará do caso.

Veja a decisão na íntegra:

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Jailson disse:

    Engraçado pelo que eu sei ela não estava podendo comprar mas pode emprestar dinheiro a outra empresa com dívida com empregados demitidos e devendo a outras empresas difícil o caraxtem oleiro em todo lugar

  2. Ricardo disse:

    Muito engraçado mesmo….a justiça manda pagar a kaissara
    Pq não manda a kaissara pagar os funcionários que eles devem

Deixe uma resposta