Ação no Metrô de São Paulo oferece serviços gratuitos à população LGBTI

Unidade Móvel visitará estações Guilhermina-Esperança, Patriarca-Vila Ré e Vila Prudente. Foto: Divulgação.

Projeto oferece informações, assistência social, assessoria psicológica, jurídica e, se necessário, encaminhamentos aos órgãos competentes

JESSICA MARQUES

Uma ação social realizada em parceria com o Metrô de São Paulo vai oferecer serviços gratuitos à população LGBTI (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexuais).

No mês de fevereiro, estações do Metrô receberão a visita de uma unidade móvel que realizará atendimento gratuito, sempre das 14h30 às 19h30.

Os principais serviços serão orientação e combate à violência, intolerância e discriminação de gênero. Além disso, os interessados poderão contar com auxílio de colaboradores para prestação de serviços como assistência social, assessoria psicológica e jurídica e, se necessário, encaminhamentos aos órgãos competentes.

Em janeiro, mês da Visibilidade Trans, data comemorada em 29 de janeiro, a ação foi realizada em estações do Metrô nas zonas norte e leste.

Relembre:

STM oferece informações e serviços gratuitos à população LGBTQI em São Paulo

Confira a programação nas estações do Metrô:

Dias 1º e 02 de fevereiro: Guilhermina-Esperança (Linha 3-Vermelha)

Dias 03 e 04 de fevereiro: Patriarca-Vila Ré (Linha 3-Vermelha)

Dias 08 e 09 de fevereiro: Vila Prudente (Linha 15-Prata/Linha 2-Verde)

“O atendimento é feito com os cuidados para prevenir à contaminação à covid-19, com distanciamento entre as pessoas e disponibilização de álcool em gel. A ação é realizada pela Associação Cultural Educacional e Social Dynamite, atual gestora do Centro de Cidadania LGBTI Luana Barbosa, em parceria com o Metrô, contando com o apoio da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo”, informou o Metrô, em nota.

Outra ação realizada é a transcidadania, programa que tem como objetivo promover a reintegração social para travestis, mulheres transexuais e homens trans em situação de vulnerabilidade. Utilizando a educação como principal ferramenta, os beneficiários recebem a oportunidade de concluir o ensino fundamental e médio, ganhando qualificação profissional e desenvolvendo a prática da cidadania.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta