VÍDEOS: ANTT apreende três ônibus a serviço da Buser em Areal (RJ)

Ao todo, veículos transportavam 90 passageiros. Foto: Divulgação / ANTT.

Apreensões foram realizadas na BR-040

JESSICA MARQUES

A ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) apreendeu três ônibus a serviço da Buser em Areal, no Rio de Janeiro. As apreensões foram realizadas neste domingo, 31 de janeiro de 2021.

A ação é mais uma etapa da Operação Pascal 2021, com apoio da PMRJ (Polícia Militar do Rio de Janeiro) na BR-040.

De acordo com a ANTT, os três veículos apreendidos são de empresas de turismo e foram flagrados realizando serviço de linha (circuito aberto).

Ainda segundo a agência, o veículo de propriedade da empresa Planalto transportada turística Ltda, que estava realizando linha (circuito aberto) de Brasília/DF para o Rio de Janeiro/RJ, não está cadastrado na ANTT para realizar nenhum tipo de serviço e para tentar ludibriar a fiscalização, foi apresentado uma licença de viagem de outro veículo pertencente a empresa Expresso JK transportes Ltda.

Outra apreensão foi do veículo da empresa Agence Contact Internacional de Turismo (Horizonte Turismo), que estava realizando linha do Rio de Janeiro/RJ para Belo Horizonte/MG. A ANTT informou que o ônibus, estava com o extintor de incêndio vencido desde março de 2020, com o pára-brisa do lado direito trincado em círculo, em dois pontos e a área envidraçada superior frontal trincada de borda a borda na horizontal no meio em toda a extensão abrindo em duas rachaduras, colocando em risco a segurança dos veículos e de todos os passageiros.

O terceiro ônibus apreendido também pertence à empresa Agence Contact Internacional de Turismo (Horizonte Turismo), que também estava realizando linha do Rio de Janeiro/RJ para Belo Horizonte/MG. Neste caso, o veículo estava com o extintor de incêndio vencido desde outubro de 2020, também colocando em risco a segurança do veículos e de todos os passageiros, segundo a ANTT.

Ao todo, 90 passageiros foram retirados dos ônibus apreendidos durante as ações da agência.

Em nota, a ANTT divulgou um alerta sobre o risco de viajar em transporte “clandestino”, confira:

A fiscalização alerta que veículos autorizados para realizar linha embarcam e desembarcam em terminais rodoviários e emitem bilhetes de passagens que são documentos fiscais. Já veículos autorizados para fazer “turismo” não podem embarcar em terminais rodoviários, não podem emitir bilhetes de passagens e viajam com uma licença de viagem com uma lista com os nomes dos passageiros. Portanto empresas que vendem apenas o trecho de ida e possuem lista de passageiros são considerados clandestinos e estão passíveis de apreensão.

A fiscalização alerta para o perigo de viajar em veículos considerados ‘’clandestinos’’, e que ‘ofertas pela internet e aplicativos podem ser verificadas na ouvidoria se são autorizadas ou não’’.

Em caso de dúvidas ou denúncias sobre a legalidade da viagem podem ser utilizados os canais da Ouvidoria da ANTT:

Whatsapp (61) 99688-4306; telefone 166 (24 horas); e o e-mail ouvidoria@antt.gov.br.

OUTRO LADO

Confira o posicionamento da Buser sobre as apreensões:

A atuação da Buser e de suas parceiras faz parte da chamada nova economia, estando plenamente de acordo com a lei e os princípios constitucionais da livre iniciativa e livre concorrência. Causa estranheza, portanto, que mais uma vez se testemunhe o empenho das autoridades em interromper a viagem causando prejuízo a passageiros e empresas.

Essas ações, que de forma arbitrária parecem defender os interesses dos velhos monopólios, tem claro intuito de impedir que a Buser siga intermediando viagens, conectando passageiros a empresas de fretamento, por valores muito mais vantajosos aos consumidores, com ônibus de qualidade e com segurança muito acima da média.

A Buser seguirá atuando conforme o que lhe permite o Poder Judiciário e espera que o Poder Executivo tome uma atitude para garantir a livre iniciativa e que sobretudo o consumidor seja beneficiado pela nova economia, especialmente num setor que tradicionalmente é dominado pelas práticas abusivas dos monopólios.

Confira as imagens da ação:

Ao todo, veículos transportavam 90 passageiros. Foto: Divulgação / ANTT.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. João Luis Garcia disse:

    Essas empresas são as parceiras de negócios da BUSER ???
    Empresas irregulares com veículos sem licença ?
    Aonde está a responsabilidade da BUSER ?
    Isso que o poder judiciário tem que tomar ciência.

  2. GuilhermeAbreu disse:

    Os advogados da buser escrevem bonitos, gostaria de saber deles o q acham dos ônibus com parabrisa trincados e extintor vencidos, isso é segurança para os passageiros??

  3. José disse:

    ANTT não fiscaliza nenhuma,dependo de ônibus para trabalhar ,os ônibus são um lixo mas como a empresa detém a linha .o problema todo e que a buser tá fazendo preços acessivil,e nas empresas donas da linha as vezes o passageiro tem que pagar até outra cidade distante da que vai descer porque não tem tarifa até o destino.

  4. Carlos Rodrigues disse:

    Absurdo a favor dos monopólios de trasporte de passageiros que persistem em todo o Brasil. A Buser presta um serviço de qualidade, por vezes, superior a de outras empresas ditas “legalizadas”.

  5. Robson Aguiar disse:

    Queria saber se a fiscalização,eu sendo passageiro,são em todos os ônibus?!Porque nunca vi outras empresas sendo paradas.🤔

  6. Joaquim disse:

    Viu como é estranho isso tudo? Com veículos zero km, a Expresso JK hj é uma das melhores empresas no seguimento de transporte e turismo de Brasília. Uma empresa regular, mas por fazer parte do grupo BUSER já sofre as perseguições por parte da ANTT. Cadê as fiscalizações da ANTT em cima dos ônibus que fazem transporte de. Brasília DF para Niquelândia GO, de Brasília DF para Formosa GO, de Brasília DF para Bom Jesus da Lapa BA????????

    Isso tudo faz a gente pensar que têm alguém ou alguns grupos que estão molhando a mão da ANTT

    1. LUIS CARLOS DA SILVA disse:

      Fala asneiras sem conhecimento de causa,Tudo deve ter regulamentação se não não funciona,sabe á logística de uma empresa rodoviária? Procure conhecer então pra não falar besteiras e passar vergonha.

      1. Joaquim disse:

        O ASNO aqui é vc Luis Carlos da Silva Sauro

        Te garanto que todas estas empresas regulares no turismo que fazem transporte para a BUSER. estão cientes dos riscos dessas multas…. ninguém entra inocente numa situação dessas. Conheço o Dono da Expresso JK e a empresa dele é uma empresa totalmente que presta um excelente serviço com excelentes ônibus. Pra vc que tá falando merda e tem conhecimento de causa, te desafio a vir aqui fazer uma viagem nos ônibus que são regulamentados… vem fazer o trajeto de Brasília DF para Formosa GO…….vem fazer o trajeto nestes ônibus regulares de Brasília DF para Niquelândia GO…Vem fazer o trajeto de Brasília DF para Bom Jesus da Lapa BA no período diurno. Conhecimento de causa pra mim é um transporte com qualidade……. conforto.

        NÃO PRECISO TER CONHECIMENTO DE CAUSA EM ACEITAR UM. TRANSPORTEI INTERMUNICIPAL E INTERESTADUAL. CANDO AOS PEDAÇOS E QUE NUNCA CONSEGUE CUMPRIR O HORÁRIO DE SAÍDA DE BRASÍLIA

    2. LUIS CARLOS DA SILVA disse:

      As empresas rodoviária tem toda uma logística,garagem nas cidades de início e final da linha,ponto de apoio pra troca de motorista com alojamento para descanso dos motoristas,guichê pra vendas de passagens e toda uma infraestrutura que dispensa comentários…ai entra esse App pirata r acha que esta certo? O problema é que quando prende o bus,a buser sai ilesa e so o dono do bus que se ferra,isso tem que ser mudado,A busser deve ser responsabilizado e multado tbm.

  7. Sérgio Ramos Motta disse:

    Se trata de ônibus pirata essa buser. E graças a ação das autoridades esses criminosos são retirados de circulação. A pretexto de nova economia eles tem deixado os passageiros a Drica como aconteceu ontem em um embarque para Brasília no Aterro do Flamengo. Previsto para sair às 20:30, o embarque só aconteceu as 01:00 de domingo e, em ônibus da Empresa Itapemirim. E ouve aglomeração desrespeito as normas de distância e só havia o motorista que tentava embarcar os passageiros sozinho. A buser que não deu as caras, se omitiu e se os consumidores forem inteligentes não utilizariam mais esse transporte pirata travestido de nova UBER .

  8. Leonardo disse:

    Esses gentinha da antt deve ta c falta do q fazer. Pra apreender onibus por motivos futeis

    1. Joaquim disse:

      Não é falta do que fazer….. é tipo.. PAGANDO BEM….QUE MAL TÊM !!

      Alguém ta ganhando com essas apreensões…..mas garanto que não é a população

  9. Cezar Amaral disse:

    Ridiculo, ANTT deveria ter uma Fiscalização também aos ônibus da mafia do Jacob Barata, inúmeras irregularidades e fazem vista grossa no Rio, SP, Minas , Bahia , em todo Brasil ônibus desta Máfia q certamente dao suborno aos fiscais q nem sabemos se vão as principais Rodoviárias! Eu ja tinha utilizado Buser e agora em diante vou participar ainda mais !!

Deixe uma resposta