Greve de ônibus em Teresina entra no terceiro dia

A devolução do montante seria por uma "quebra de acordo" por parte dos trabalhadores. Foto: Luccas Rios/Ônibus Brasil

Impasse continua depois de a prefeitura pedir a devolução de R$ 600 mil destinados ao setor

WILLIAN MOREIRA

A paralisação dos trabalhadores no transporte coletivo de Teresina no Piauí chega ao terceiro dia nesta quarta-feira, 27 de janeiro de 2021, sem uma sinalização de solução para o problema.

A categoria marcou  uma manifestação na Avenida Frei Serafim em frente a garagem da Emtracol, cobrando ação por parte das empresas e poder público para receber os direitos em atraso.

De acordo com a Strans (Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito) apenas 21 ônibus estão em circulação nas ruas com o Consórcio Poty sendo o maior em atividade, com 15 veículos.

SOBRE A GREVE

Os motoristas e cobradores interromperam suas atividades na última segunda (25) cobrando o pagamento de benefícios como o vale-refeição e plano de saúde. Os profissionais se queixam que estão recebendo mensalmente menos de um salário mínimo nacional.

Na terça (26) a Prefeitura de Teresina enviou um aporte de R$ 600 mil para o pagamento das pendências, mas como a greve não acabou, pediu ao Setut (Sindicato das Empresas do Transporte Urbano de Teresina) a devolução deste valor.

Segundo representantes do Sintetro (Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Rodoviário), a prefeitura e empresários de ônibus querem jogar a população contra o sindicato.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2021/01/26/como-motoristas-de-onibus-continuaram-em-greve-em-teresina-prefeitura-pede-de-volta-r-600-mil-que-seriam-para-o-vale-refeicao/

O Sindicato das Empresas do Transporte Urbano de Teresina (Setut) encaminhou nota ao Diário do Transporte. Leia na íntegra:

Posicionamento SETUT

Diante do atual cenário de paralisação dos motoristas, o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (SETUT) esclarece que, de forma alguma, teve acesso ao repasse feito pela Prefeitura de Teresina, pois o recurso foi depositado diretamente na conta da Strans que deveria repassar às empresas.

Por decisão do executivo municipal, a Strans não repassou o dinheiro ao SETUT e, consequentemente, não houve o pagamento aos colaboradores das empresas. A entidade reitera ainda que continuará no aguardo do repasse, para assim poder transferir aos colaboradores.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta