Goiânia e Região Metropolitana começam a implantar novo sistema de bilhetagem eletrônica

Pacote Tecnológico da Prodata vai modernizar o sistema de transporte coletivo da região, facilitando e ampliando o acesso

Mudanças começam a vigorar em 23 de janeiro 

ALEXANDRE PELEGI

Começa a implantação neste sábado, 23 de janeiro de 2021, de um novo sistema de bilhetagem eletrônica (SBE) para o transporte coletivo de Goiânia e região metropolitana.

Com novas funcionalidade, o novo sistema possibilitará o surgimento de novas políticas públicas.

Como mostrou o Diário do Transporte, a Companhia Metropolitana do Transporte Coletivo (CMTC), em conjunto com as empresas de ônibus da Grande Goiânia, lançou oficialmente no dia 26 de novembro de 2019 a assinatura do pacote tecnológico que vai modernizar o sistema de transporte da região.

Além da biometria facial, o novo sistema promete a diversificação dos meios de pagamento – além do cartão de transporte, o usuário do ônibus pode pagar sua passagem com cartão de crédito ou débito por aproximação (NFC), e ainda por QRCode.

Em resumo, o extenso cardápio de inovações, que reúne o que de mais moderno o sistema de bilhetagem integrada oferece hoje, compõe a modernização do sistema contratada junto à Prodata. O financiamento e a implantação gradual será feita pelo RedeMob Consórcio.

O pacote tecnológico terá ainda o pagamento em nuvem (Procloud) e a recarga a bordo com Wi-Fi no interior dos ônibus. O sistema online permite a atualização de dados dos cartões de transporte dentro do próprio veículo.

A biometria facial neste primeiro momento será válida para os idosos, e a recarga de créditos no cartão poderá ser feita a bordo dos veículos.

Em comunicado à imprensa, a RedeMob Consórcio a migração de sistemas terá nível mínimo de impacto aos clientes. “Os usuários não precisarão trocar seus cartões atuais e não terão que realizar novo cadastro. Todos os 1,6 milhões de cartões continuarão a ser normalmente aceitos”, informa.

O sistema tecnológico utilizado é nacional e a mudança deve impactar cerca de 500 mil pessoas, considerando uma movimentação fora do cenário de pandemia, que fazem uso diário do serviço, localizadas na região metropolitana de Goiânia.

“Todo investimento em tecnologia que melhore o acesso ao serviço e geração de dados é bem-vindo. O transporte é essencial às cidades e o usuário precisa de facilidades para deslocar. A CMTC acompanhou todo esse processo e validou as ações por serem elas positivas ao sistema RMTC”, avalia Murilo Ulhôa, presidente da CMTC.

COMO SERÁ A MIGRAÇÃO

A RedeMob esclarece que a partir de sábado, 23 de janeiro, o cliente deverá apresentar seu cartão Sitpass no novo equipamento, uma vez que o antigo será desligado e retirado gradativamente de dentro dos ônibus.

“Neste primeiro momento a leitura do cartão será um pouquinho mais demorada porque o sistema estará migrando automaticamente todas as informações gravadas dentro do cartão para o novo sistema.

A partir daí o cliente já terá “migrado” o seu cartão para o novo sistema”, informa.

Este mesmo processo irá ocorrer na rede de vendas, caso o cliente precise carregar créditos em seu cartão antes de embarcar. O sistema não exigirá nenhuma outra ação específica.

O diretor executivo do RedeMob, Leomar Avelino explica que esse tempo de atualização levará menos de 10 segundos. “O equipamento foi bastante testado, mas, caso haja uma alguma demora além disso, pedimos compreensão do usuário e que ele informe ao motorista ou ao atendente de bilheteria para que possam ser realizados os ajustes necessários”, detalha.

A coleta de foto para o cadastro inicial dos passageiros da terceira idade será realizada pela própria máquina ao ingressar em um terminal ou dentro do ônibus, na hora do embarque, e levará também apenas alguns segundos, sem a necessidade de nenhuma ação específica do usuário.

Em um momento posterior, após a descarga dos dados do veículo na garagem, a tecnologia da biometria fará o cruzamento da foto capturada no momento do embarque com a foto do cadastro daquele cartão. Em caso de divergência, esta foto é enviada para inspeção visual e análise da ocorrência. Diante do atual momento, a tecnologia já está preparada para análise de fotos dos clientes com uso de máscaras.

Para o cliente que efetuar a compra pela internet, ou que recebe créditos de vale-transporte, já poderá contar com a liberação dos seus créditos para recarga no cartão em todos os validadores dos ônibus e terminais. Esta recarga acontecerá automaticamente quando ele apresentar o seu Cartão Fácil no novo validador. Uma vez que comprou, o crédito será baixado no próprio validador.

FASES DA IMPLANTAÇÃO

A ReeMob destaca ainda que o novo sistema conta com continuidade de implantação do projeto, prevista para ocorrer durante o ano de 2021.

Novos meios de pagamento serão implementados como o pagamento via Cartão de Crédito, de débito, QR Code Dinâmico e pagamento através de Conta Corrente em Nuvem (Procloud), denominado ABT (Account Based Ticket). Este meio de pagamento exigirá cadastro prévio do cliente, o qual cadastrará uma conta no sistema e, ao utilizar o transporte público, precisa usar um dispositivo, a exemplo de celular, apenas para se identificar no validador.

O débito será feito diretamente na conta informada. “Quando esse novo modelo estiver totalmente implantado o usuário sentirá as vantagens, principalmente pela facilidade de acesso com outras formas de pagamento da passagem”, avalia o presidente da CMTC, Murilo Ulhôa.

Os novos validadores já estão equipados com o módulo leitor padrão EMV, que é utilizado pelos cartões de crédito bancário. A única exigência é que o cartão de crédito do cliente já possua a interface para comunicação sem contato, bastando apenas aproximá-lo do validador.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta