Turb, em Ribeirão Preto, é vendida e vai encerrar as operações, diz sindicato

Ônibus da Turb

Parte das operações será assumida pela Sertran e outra parte pela Rápido D’Oeste de acordo com entidade trabalhista

ADAMO BAZANI

A Turb  – Transporte Urbano S/A,  do Grupo Comporte, vai deixar de operar o transporte público de Ribeirão Preto, no interior paulista.

A informação foi divulgada na manhã desta quarta-feira, 13 de janeiro de 2021, em postagem do presidente do Seeturp – Sindicato dos Empregados do Transporte Urbano de Ribeirão Preto, João Henrique Bueno, nas redes sociais.

De acordo com o sindicalista, parte das operações será assumida pela Sertran e outra parte pela Rápido D’Oeste e pela Sertran.

Ainda de acordo com o representante sindical, a Turb vai deixar de operar entre fevereiro e março.

A postagem ainda diz que, mesmo internado por causa da covid-19, Bueno já está em contato com os novos proprietários para garantir o direito trabalhista dos funcionários.

Aos amigos, colegas e companheiros de trabalho da TURB.

A empresa foi vendida  (20% para Sertran e 10% para Rápido D’Oeste) – do sistema dentro do Consórcio.

A TURB estará encerrando suas atividades em Ribeirão Preto em: 01 de fevereiro ou 01 de março, aguardando apenas o final das negociações em relação aos empregados.

Como todos já sabem, estou internado na UTI em isolamento com covid19 há alguns dias, mas tenho mantido contato via whatsapp com os novos proprietários na busca de soluções.

Infelizmente, começamos o ano com esse problemão.

Mas fiquem tranquilos (claro que dentro do possível) pois estaremos buscando soluções como sempre fazemos, acredito que tirando aqueles que só criticam e reclamam sem contribuir….,  também receberam suas HE o diferença do vale alimentação e todos os demais direitos que a força o respeito e a representatividade do SEETURP impõe,  pois unidos nos vencer é mais difícil.

As vezes as batalhas são ingratas, demoram…. Mas se olharem para o passado do seu sindicato, verá que foram muitas vitórias e essa não será diferente.

Em breve estaremos juntos novamente.

O Diário do Transporte entrou em contato com o Consórcio Pró-Urbano, do qual faz parte a Turb, e aguarda retorno.

Em seu portal, a Turb diz que foi fundada em 1º de janeiro de 2003 e tem uma frota de 106 ônibus, que operam em 26 linhas convencionais, 1 circular e 8 alimentadoras.

Antes da pandemia, eram transportados por mês, em média, 780 mil passageiros pagantes e mais 520 mil passageiros gratuitos. O total de funcionários, também antes da pandemia, de acordo com o portal, era de pouco mais de 260 pessoas.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. carlos souza disse:

    Pandemia de descrenças no futuro e a falência moral da humanidade agravadas por essa m… de vírus.

  2. carlos souza disse:

    Outra OrCrim se esfarelando.Alem dos casos de morte de um lider comunitário e tentativas do Sr. Nenê Constantino de matar um ex-genro que denunciava falcatruas do grupo,o mesmo(grupo)me parece que tempos atrás já foi alvo da Lava-Jato.No caso das denúncias da Lava-Jato,se eu estiver enganado,corrijam,mas acho que o Grupo Constantino já foi alvo da Lava-Jato.

  3. Adriano disse:

    A TURB de Petrópolis RJ também foi vendida, o novo grupo assumiu por enquanto como o mesmo nome, carros e garagem.

  4. João Tardelli Jr. disse:

    Bom dia, sou de Ribeirão Preto gosto de onibus desde pequeno e por isso aí vai uma pergunta. Vi a sua notícia de que a turb foi vendida e vai encerrar o transporte na minha cidade. Vi também que foi informado que rápido doeste e setran irão ficar com parte das linhas. Pois bem pelo que eu sei vejo a sertran ja não existe mais a tempo aqui em Ribeirão Preto ela faz parte da rápido doeste. Não seria melhor uma nova empresa ou uma nova concorrência mas sem essas que aí estão a maus de 30 anos? Obrigado

Deixe uma resposta